sexta-feira, 26 de outubro de 2012

As Human-Dolls-Divindades-Cósmicas da Ucrânia



Depois das Barbies humanas, o fenômeno da adoção de uma aparência que se afastada realidade para se tornar cada vez mais idêntica a personagens de ficção se espalha com o surgimento das garotas-anime-divindades-transcendentais. 

Na Ucrânia já existem várias delas que surpreendem pela semelhança com as personagens dos quadrinhos japoneses. Na foto acima: Anastasia Shapagina.

UCRÂNIA. Ela tem 19 anos, já fez inúmeras aparições naTV e tem milhares de fãs no Youtube e no Facebook. 

Anastasia Shapagina, de Odesa (ou Odessa) - cidade costeira da Ucrânia, às margens do Mar Negro - tornou-se famosa por seu insólito visual: ela se transformou igual à uma garota de quadrinhos anime ou de desenhos animados japoneses.

A transformação exige entre duas a três horas diárias deaplicação de maquiagem pesada, o quê faz seus olhos tornarem-se muito maiores, reduz seu nariz eseu lábio. Lentes de contato especiais, azuis, o cabelo louro, quase branco, longo até a cintura e o figurino completam a figura.

Shapagina diz que vê asi mesma como uma fada, que vive em seu próprio mundo de sonho e que não gosta de seu rosto normal.

Ela acorda às cinco horas da manhã para que um cabeleireiro e um maquiador possam prepará-la para ir ao trabalho, onde chega às 9 horas. Seu video tutorial sobre como tornar-se uma fada já foi acessado mais 4 milhões de vezes. Mas Shapagina não foi a única que adotou a aparência de um desenho.



Valeria Lukianova, adotou não somente uma aparência surreal mas, também, uma biografia fantástica: ela é cósmica, é Amatue, a deusa do Sol

Somente em Odessa, ao menos mais duas garotas-boneca que são celebridades. Valeria Lukianova, de idade desconhecida, é a Barbie viva da Ucrânia. Ela afirma que sua cintura extraordinariamente fina é natural embora alguns fãs que, no passado, ela confessou ter feito uma cirurgia para remover duas costelas.

Em um programa de televisão ela explicou que a mudança no visual reflete a real aparência de seu Eu Superior. Lukanova é casada e o marido, segundo ela, apoia plenamente sua escolha. Ela se alimenta somente com sucos e smoothies (shakes diet). 

Pesa 42 kg apesar da altura de 1,72 m. Lukianova tem um discurso místico: diz ser, na verdade, Amatue, a deusa do Sol, uma saudação às Pleiades e faz tournês dando palestras "exotéricas" que custam 80 dólares "o investimento" - por dois dias de apresentação.

Nas palestras, ela fala de suas vidas passadas, sua origem cósmica, suas experiências fora do corpo, seu método de meditação. Na rede social Vkontakte, ela tem 232 mil seguidores e seu canal no Youtube tem quase 14 milhões de visitas. 

Lukianova é uma das precursoras dessa tendência "doll-transformer youself" (trans-forme-se). Em seu site, www.amatue21.com - publica fotos de outras mulheres jovens que "se transformaram" em "bonecas".



Olga Oleinik ou Dominika, leitora de CralosCastañeda e estilista para "pessoas cósmicas".

Olga Oleinik é outra dessas celebridades e também está envolvida em práticas "exotéricas". Amiga de Lukianova, escolheu um nome "espiritual" parasi mesma: Dominika. 

Em sua página na Vkontakte, conta que lê Carlos Castañeda e Osho, escritores de temas místicos. Oleinik também tem um trabalho relacionado à sua "transformação": desenha roupas para "pessoas cósmicas".

A popularidade da bonecas cresce acada dia e seu discurso "mágico" cativa novos fãs, que pedem aelas que enviem-lhes "raios de luz" aos quais elas repondem: "Estou enviando".


ENQUANTO ISSO... NO JAPÃO...

No Japão, a modelo Anna Amemiya (foto abaixo), 22 anos (em 2012) usa um recurso bem mais prático para "virar" um personagem de anime. Ela usa usa, simplesmente, uma máscara e é assim, mascarada - que ela comparece para sessões de foto ou em qualquer lugar público.




Metade anime, metade humana, ela estreou sua carreira de modelo-híbrida em 2010 e tornou-se um ídolo japonês do glamour. Em setembro daquele ano, foi contratada pela Excel Human Agency e lançou seu primeiro DVD. Embora pareça muito estranho, seu sucesso é um fato. 

Com sua cabeça de latex e corpo de carne e osso ela atrai um significativo contingente de fãs, a admiração e o desejo de muitos homens. E como nunca tira a máscara, ninguém conhece seu verdadeiro rosto. Possivelmente, algum dia, ela vai ganhar uma fortuna somente para mostrar a cara.


HUMAN DOLLS, O FENÔMENO
por Lygia Cabus

Com relação às barbies-animes-human-dolls, é um fenômeno digno de análise acadêmica no âmbito da psicologia e sociologia. É evidente que essa febre que transformar a própria aparência de modo tão radical tem alguma relação com a não-identificação da pessoa com o seu físico real, um estranhamento de si mesmo.

A causa dessa auto-rejeição pode estar relacionada com a programação visual da mente, condicionada a aceitar com bom e belo aquilo que é intermitentemente oferecido como a imagem ideal da pessoa nos mass midia

Na televisão, no cinema, nos games, desde cedo, várias gerações têm-se acostumado a reconhecer como a beleza em personagens de ficção que são cuidadosamente preparados para serem ou parecerem perfeitos. 

Atores (atrizes), cantores (ras) ou modelos humanos, estes, têm suas feições e físico transformados em exemplares sem defeitos, tanto quanto possível, antes de se exporem ao público. 

As aparições ao vivo - não raro - são algo de decepcionante porque a transformação da aparência requer um toque de tecnologia que vai além do photoshop e da maquiagem. Em muitos casos, além da iluminação especial, filtros de câmera são usados para fazer o acabamento da perfeição em filmes, novelas e programas de TV.

Mesmo sabendo que tais recursos são utilizados por seus ídolos, o que permanece na mente do público é a imagem impecável e... desejável. Assim, muitas pessoas comuns, não famosas, não artistas - especialmente os jovens que, com a personalidade em formação buscam modelos que inspirem seu modo de ser - diante do espelho, sentem uma quase inevitável insatisfação e mesmo, rejeição em relação à sua própria imagem. A solução é transformar-se, a qualquer custo, em uma figura de ficção. 

Porém, mesmo que alguém resolva jamais enfrentar o espelho sem o "disfarce", a tendência é que mais cedo ou mais tarde a realidade se imponha e essa é uma situação que pode resultar, no mínimo, na promessa de uma profunda crise depressão. Sim, existe algo de muito perigoso nesse modismo das barbies-girls.

Além da questão da rejeição radical ao próprio corpo, as human-dolls ucranianas - e que estão se espalhando por outros países, revelam uma outra nuance de rejeição ao real: o aspecto místico do discurso, que algumas delas vêm assumindo, demonstra claramente que além do corpo humano, essas pessoas estão recusando a realidade da vida no mundo humano. 

Não querem mais reconhecer-se como pertencentes à Humanidade terrena e assim, assumem a idéia de que "não são deste mundo". Isso é compreensível: a Humanidade desta pós-modernidade tornou-se algo de repugnante e assustador, uma espécie de beco sem saída, uma prisão cuja única via de fuga é "para cima" ou, para dentro de si mesmo, em um abrigo feito de pura fantasia.

LINK RELACIONADO 


[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2012/06/projeto-barbie-uma-operacao-alienigena.html]

FONTES
RUDENKO. Olga. Living dolls walk streets of Odesa.
KYIV POST, publicado em 11/12/2012.
[http://www.kyivpost.com/guide/people/living-dolls-walk-streets-of-odesa-314253.html]
Mitad mujer, mitad animé.
DIARIO VELOZ, publicado em 16/10/2012.
[http://www.diarioveloz.com/notas/76596-mitad-mujer-mitad-anime]

Nenhum comentário:

Arquivo do blog