sábado, 18 de agosto de 2012

Filmagens Submarinas Revelam Novas Pistas de Amelia Earhart


O vídeo submarino mostra um semicírculo na parte superior da imagem, que pode ser uma parte frontal do avião. À direita, um, objeto circular. 

Essas recentes investigações sobre o destino de Amelia Earhart, seu co-piloto navegador - Fred Noonan - e seu avião foram deflagradas por uma velha fotografia, obtida po um funcionário da Britsh Colonial - Eric B. Bevington - ainda em 1937, apenas 3 meses depois do desaparecimento do avião. 

Na foto, um artefato aparece no lado esquedo do quadro. Análises forenses atuais dessa imagem - borrada - determinaram que o objeto tinha dimensões consistentes com o quê poderia ser o trem de pouso da aeronave de Earhart, mais especificamente - um suporte, uma roda, uma engrenagem e um parachoque. Na filmagem submarina feita em julho (2012), foram identificadas, por exemplo, a roda e parte do suporte.


OCEANO PACÍFICO. Em julho, nas águas próximas ao atol localizado na costa da ilha de Nukumaroro, situada a sudoeste da República de Kiribati (hoje, evacuada por causa de seu iminente desaparecimento devido à elevação das águas do oceano), o Grupo Internacional para Recuperação de Aviões Históricos (TIGHAR) - começou a busca submarina por evidências que comprovem a queda, no local, do avião da pioneira da aviação - Amelia Earhart, que desapareceu durante o vôo há 75 anos atrás - em 2 de outubro de 1937.


Autonomous Underwater Vehicle (AUV), o rastreador em forma de torpedo utilizado pelos pesquisadores do TIGHAR na busca de destroços do avião de Amelia Earhart no fundo do mar do atol de Nukumaroro.


O Remote Operated Vehicle (ROV), rastreador de águas profundas, equipado com com quatro câmeras, uma delas de alta-definição.

A expedição enfrentou vários problemas técnicos para explorar, com mergulhadores, o ambiente difícil do fundo do mar nas vizinhanças do atol. Então o TIGHAR utilizou uma sonda e um veículo submarino autônomo - um ROV operado de forma remota (um uma AUV e um ROV - não tripulados) equipado com câmeras - para procurar destroços do avião.

O especialista forense em imagens filmadas do THIGAR, Jeff Glickman, informou ao canal Discovery: Eu já fiz uma revisão superficial de cerca de 30% do vídeo obtido e identifiquei o que parece ser um campo de destroços.

No mesmo local, em 1929, um navio britânico encalhou em um recife. era o Norwich SS City. Mas as novas descobertas do TIGHAR foram feitas muito além do campo dedestroços desse navio. Os achados recentes incluem vários objetos.



AS SARDAS DE AMELIA

Amelia Earhart, em seu avião, o Lookheed Electra. Equipado com vários dispositivos especiais, a aeronave era chamada, também, de laboratório voador. Foto: 1936.

Uma das mais notáveis evidências de que os últimos dias de Amelia Earhart foram passados como náufraga no atol foi o achado de um pote de creme anti-sardas que ela usava: o Creme Freckle Dr. Berry. É um elemento muito específico e, portanto - significativo de que os investigadores do TIGHAR estão na pista certa.

O químico Greg George submeteu os fragmentos à uma série de testes que detectou traços de mercúrio na parte interior do vidro. O mercúrio, de fato, era utilizado como ingrediente dos cremes anti-sardas da época, para promover o branqueamento da pele. Aliás, o mercúrio era uma peculiaridade da fórmula do Dr. Barry.

LINKS RELACIONADOS NESTE BLOG



FONTE: FARBEROV, Snejana. Is this Amelia Earhart's plane? Underwater video reveals evidence that 'solves' 75-year mystery of aviator's last flight .
DAILY MAIL/UK, publicado em 18/08/2012.
[http://www.dailymail.co.uk/news/article-2190099/Amelia-Earhart-Underwater-video-reveals-evidence-solves-75-year-mystery-aviators-flight.html?ito=feeds-newsxml]

Nenhum comentário:

Arquivo do blog