quinta-feira, 20 de setembro de 2012

O Mistério da Astronomia dos Maias

por Lygia Cabus


Esta é a imagem geralmente associada ao calendário Maia. Mas este não é o calendário Maia. Esta é A Pedra do Sol ASTECA também chamada Calendário Mexica ou Pedra das Cinco Eras, exposta no Museu Nacional de Antropologia, Cidade do México - México, chamado Haab que, de fato, possui pontos de congruência com a cronologia do calendário Maia chamado Cuenta Larga ou "Dos Longos Períodos". 

Foi encontrada durante escavações realizadas em El Zócalo, principal praça da Cidade do México, em 17 de dezembro de 1790. Tem um diâmetro de 3,7 metros e pesa cerca de 24 toneladas. 

O verdadeiro Calendário Maia não está gravado em um só bloco de pedra ou pergaminho de qualquer espécie. Mas, encontra-se disperso em vários monumentos, petroglifos diversos e pinturas rupestres distribuídos em uma vasta área da América Central, especialmente na Guatemala. 

Foto: julho de 2009 IN [http://en.wikipedia.org/wiki/File:Monolito_de_la_Piedra_del_Sol.jpg]


MAIAS/COSMO. Quarta-feira, 19 de setembro de 2012. Ao por do sol, o fenômeno astronômico do alinhamento entre a Lua e Marte, produziu um eclipse do chamado planeta Vermelho, que ficou oculto pelo disco prateado do crescente lunar. O ocultamento ocorreu por volta da 18:05, hora Brasil. Pouco mais de uma hora depois, às 19:22 Marte reapareceu.



Representação gráfica do alinhamento astrológico entre Lua e Marte em 19 de setembro de 2012.

O evento chama a atenção não somente por sua raridade de ocorrência mas porque este é mais um dos fenômenos cósmicos destacados no calendário Maia, o mesmo que tem sido tão comentado ao longo deste ano (2012) por sua suposta profecia do Fim de um Tempo em 21 de dezembro próximo.

De fato, os estudiosos do Calendário consideram esse alinhamento um dos acontecimentos mais importantes antes do fim da uma Era que Maias anteciparam em suas previsões.


CALENDÁRIOS MAIAS

O conhecimento sobre a cultura dos Maias bem como de outras nações pré-colombianas é muito escasso. Isso se deve ao fanatismo religioso dos colonizadores espanhóis (assim como os portugueses, no Brasil) que entendiam ser indispensável destruir todas as manifestações do saber nativo posto que consideravam tudo o quê fosse estranho aos textos bíblicos como obra demoníaca, heresias pagãs. 

Curiosamente, o pouco que foi preservado, deve-se, em boa parte ao zêlo de muitos desses mesmos religiosos, mais esclarecidos, que conservaram peças daquele conhecimento contrabandeando-as para a Europa. Hoje, muito desse material está preservado na Biblioteca da sede da Igreja Cristã Católica Ocidental, o Vaticano e outras bibliotecas de monastérios e outras instituições Católico. 

O Popol Vuh (ou poˈpol wuχ em K'iche' modernizado), por exemplo, um registro da cultura Maia que inclui "mitos" como a Cosmogênese daquele povo, foi produzido no século XVI, sendo oficialmente datado em 1544. É um documento em elaborado com o alfabeto latino mas escrito no idioma quiché. 

Boa parte do texto original, compilado em idioma quiché e, em paralelo, traduzido para o castelhano, na localidade de Santo Tomás Chichicastenango (também conhecida como Santo Tomás Chuilá - Guatemala), pelo padre dominicano Francisco Jiménez (1666-1729), em 1714, foi perdida e o que resta encontra-se na Biblioteca Newberry, em Chicago - EUA.

O calendário Maia data do século V a.C. (500 anos antes de Cristo segundo os acadêmicos). Na verdade, trata-se de um conjunto de três tabelas cronológicas relacionadas entre si, cada uma delas observando uma contagem de tempo baseada em padrões astronômicos diferentes. São eles:

TZOLZIN, com 260 dias, chamado de "a ordem dos dias", era e ainda é usado (porcomunidades nativas das terras altas da Guatemala) para prever os acontecimentos terrenos com base em ciclos sagrados, orientado pelos movimentos do Sol, da Lua, do planeta Vênus e da estrela Sírius.

HAAB, o calendário civil, com 365 dias.

CUENTA LARGA ou Períodos Longos (reproduzido, supostamente, na Pedra do Sol Asteca) que registra o Tempo das nações pré-colombianas desde 11 de agosto do ano 3114 a.C., quando sincronizado com o calendário gregoriano (atual, Ocidental). 


Ocorre que esse calendário, que marca Eras de Criação, registra quatro "Mundos" ou Humanidades (e a atual é a quarta). As "páginas" de pedra do Cuenta Larga têm sido encontradas, dispersas em diferentes sítios arqueológicos da América Central, de modo que seu estudo torna-se ainda mais difícil. 

 Uma dessa "páginas" ou stelas, que são monumento líticos - a chamada Stela D, que faz parte dos monumentos do sítio arqueológico de Quiriguá, Guatemala - contém um registro Cosmogônico que remonta à uma época passada estimada em 400 milhões de anos.



Face Norte da Estela D ou monumento 4 - parte do calendário Cuenta Larga dos Maias, Em Quiriguá - Guatemala. Os pesquisadores, que postulam os estudos mais recentes, datam essa Stela D no ano 766 d.C. A Stela D tem cerca de 6 metros de altura. Foto: Alfred Percival Maudslay, 1983.

[http://www.prmprints.com/image/816207/stone-carving-stela-d-at-maya-site-of-quirigua-guatemala]



Face oeste da Stela D. Foto: Stuardo Herrera, 2008. 
[http://en.wikipedia.org/wiki/File:Quirigu%C3%A1Glyphs1.jpg]


As "páginas" de pedra do Cuenta Larga têm sido encontradas, em dispersas em diferentes sítios arqueológicos da América Central, de modo que seu estudo torna-se ainda mais difícil. E, ainda, os três calendários foram herdados de culturas ainda mais antigas aumentando o mistério da origem dos povos pré-colombianos.


MISTÉRIOS

É curioso notar a banalidade com, atualmente, as pessoas e os midia (especialmente) falam desse Calendário Maia que, na verdade, assim como o legado de misteriosas realizações dos povos da Antiguidade são, simplesmente, inexplicáveis.

A precisão conhecimento astronômico, não só dos maias, mas também dos mesopotâmicos, egípcios, chineses, gregos, dos Dogons, da República de Mali - África Ocidental entre tantas outras nações, é um enigma que tem sido desconsiderado pela ciência acadêmica que geralmente, atribuí esses saberes à mera observação sistemática, a olho nú, do céu noturno por sacerdotes e xamãs.

Essa idéia é absurda e até mesmo ingênua. Ao mesmo tempo, a mesma ciência erudita e ofical despreza solenemente as tradições dessas culturas cujos relatos, todos eles, falam de Mestres "divinos" que teriam sido responsáveis pela instrução de seus antepassados, não só no que se refere às estrelas e planetas como, também, a todo um conjunto de técnicas, da agricultura à metalurgia que consistem nos fundamentos de uma Humanidade civilizada. Meditemos... 

FONTES
La alineación planetaria que ocurrirá hoy fue destacada por los Mayas.
MISIONES ONLINE/ARGENTINA, publicado em 19/09/2012.
[http://www.misionesonline.net/noticias/19/09/2012/la-alineacion-planetaria-que-ocurrira-hoy-fue-destacada-por-los-mayas]
CUENTALARGA. IN WIKIPEDIA/Spanish. Acessado em 19/09/2012. [http://es.wikipedia.org/wiki/Cuenta_larga]

Nenhum comentário:

Arquivo do blog