sexta-feira, 4 de maio de 2012

História de Um Periquito


O periquito japonês Piko-chan, que se perdeu, é como este da foto - que, em episódio semelhante ocorrido em 2005, foi encontrado em um pet shop israelense e voltou para casa depois de dizer a polícia o seu nome e endereço. Foto: David Silverman, Getty Images.


JAPÃO. Sagamihara, localidade próxima a Tokio. Na manhã de domingo, 29 de abril (2012), um periquito-macho encontrou a janela aberta e voou para um passeio em torno da cidade. Ele foi longe demais e perdeu a noção do tempo. Em dado momento, cansado, pousou no ombro de um homem; era o hóspede de um hotel em Tokio! Estava perdido.


O consciencioso japonês entregou o periquito à polícia local. Durante toda a segunda-feira o animal ficou no posto policial em absoluto silêncio. Mas, na noite de terça-feira, quando as autoridades decidiam o quê fazer, o periquito começou a falar. Primeiro, disse o nome de sua cidade, depos - o distrito, o número da rua onde morava e o bloco residencial.


Confirmados os dados, foi devolvido à sua família: uma senhora de 64 anos o esperava. Ela explicou o prodígio: tinha tido outro daqueles pássaros mas - aquele, perdeu-se em situação semelhante. Um longo passeio de fim de semana. 


Comprou outro em uma loja de animais e, decidida a não mais sofrer uma dolorosa perda, passou horas, dias, semanas, ensinando o novo amigo, que foi chamado de Piko-Chan - a identificar seu local de moradia. Deu certo!


Especialistas informaram que o pássaro é, de fato, bem dotado e muito amado. A habilidade falar mais ou menos desenvolvida não é somente uma questão de espécie. Pássaros de uma mesma espécie apresentam diferentes graus de capacidade: alguns, têm um vocabulário extenso, variado; outros, não falam jamais. 


Tudo indica que o desenvolvimento desse talento depende do relacionamento entre o Homem (o tutor)* e o pássaro: implica a dedicação de se dispor a passar longas horas ensinando o animal a aprender/memorizar as informações e articular as palavras. 


* NOTA DO EDITOR: SOBRE TUTELA DE ANIMAIS. Este editor acredita que é uma enorme arrogância do ser humano auto-intitular-se "dono" de qualquer animal, de qualquer ser vivo. Por isso, introduzo aqui o conceito de tutela do animal que implica uma responsabilidade que envolve o dever de cuidar em todos os sentidos do tutelado e, ainda, amá-lo, posto que, sem isso, a relação homem-animal não tem sentido e pode, facilmente, converter-se em uma inadmissível situação de abuso chegando às raias da crueldade.


FONTE: BELOV, Timofei. Who's a clever birdie then?
PRAVDA/english, publicado em 04/05/2012
[http://english.pravda.ru/science/mysteries/04-05-2012/121021-parakeet_japan-0/]
IMAGEM: CNADA.COM,publicado em 03/05/2012
[http://www.canada.com/technology/Lost+Japanese+parakeet+tweets+police+address/6559703/story.html]



Nenhum comentário:

Arquivo do blog