segunda-feira, 7 de junho de 2010

Inferno Muçulmano: Os Marmanjos Querem Mamar!



Al Obeikan, este é a favor da mamadeira...

ARÁBIA SAUDITA — Os muçulmanos não têm mais desgraças e sandices para inventar. Na Arábia Saudita, a discussão etica, teológica e sociológica do momento é se as mulheres tem ou não obrigação de fornecer leite materno! para seus colegas de trabalho e conhecidos [de seus maridos e turores homens]. Os líderes religiosos estão discutindo a questão. O ponto de desacordo é: de que modo o leite deve ser transportado!

A idéia de assinino, no momento, é uma lei, uma fatwa que, emitida recentemente estabeleceu essa bizarrice: amamentação de adultos para "estabeler relações maternas" [e fraternas]. Naturamente, como os muçulmanos são muito descentes, essa amamentação de marmanjos exclui o contato físico, no entender de uma ala de clérigos. Alguns islamitas estão tão estupfactos com a nova fatwa que estão pedindo regulamentação mais rigorosa sobre como e quando uma fatwa pode ser admitida, emitida e ter força de lei obrigatória. Ou seja uma fatwa sobre as fatwas...

O sheike Al Obeikan, conselheiro da corte real, consulor do ministério da justiça e débil mental declarou, na televisão, concordar com a lei e que as mulheres devem fornecer seu leite aos parentes homens e amigos próximos da família. O sheike teve o cuidado de explicar que: O homem deve tomar o leite, mas não diretamente do peito da mulher. Oh! Deve-se usar uma garrafinha... uma mamadeira talvez...

Se o homem não é um parente, depois de tomar o leite, torna-se um [parente], o que lhe permitirá entrar em contato com as mulheres daquela família sem quebrar as regras muçulmanas que proibem a mistura [em um ambiente] de homens e mulheres não familiares.

Mas não há consenso. Outro sheike [os sheikes são autoridades religiosas no mundo muçulmano], Abi Ishaq Al Huwaini prescreve que o homem deve mamar diretamente no peito da mulher! Esta armada a kizumba!

A coisa está dando problema. Pouco depois que os dois sheikes anunciaram essas disposições bizarras, um motorista de ônibus escolar abordou uma professora querendo mamar. Está sendo processado. De fato, ele não tem razão: a fatwa exclui os motoristas.

Na Arábia Saudita, a religião muçulmana proíbe as mulheres de se misturar com homens não parentes. Parece que os sheikes estão procurando um jeito de burlar essa lei mais antiga forçando o parentesco com não familiares por meio desta fatwa da amamentação dos adultos, que mais parece um ritual, se não descambar na safadeza e abuso contra mulheres mesmo. Naquele país elas são proibidas de votar, dirigir ou sair do país sem o consentimento de um tutor, um homem.

Os sheikes, sabe-se lá porque razão torpe e infeliz, resolveram aproveitar uma tradição antiga para forjar parentescos e intimidades: duas pessoas amamentadas pela mesma mulher tornam-se irmãos de leite materno; e uma mulher não precisa cobrir o rosto quando diante de um desses irmãos postiços. Mas esta fatwa desconsidera uma norma importante da tradição: somente se tornam irmãos de leite crianças que foram amamentadas pela mesma mulher antes de completarem dois anos e devem mamar no mínimo cinco vezes nesta mulher. Todavia, muita gente no país está revoltada e não aceita a nova lei. Até para os muçulmanos submissão tem limite.

FONTE: KENNEDY, Dana. Saudi Clerics Advocate Adult Breast-Feeding.
IN AOL News — publicado em 05/06/2010
[http://www.aolnews.com/world/article/saudi-clerics-advocate-adult-breast-feeding/19504280
]


Nenhum comentário:

Arquivo do blog