segunda-feira, 23 de junho de 2008

Yidam: o Deus Criado Pela Imaginação




No Tibete, muitos jovens, homens e mulheres, sentindo grande fervor espiritual, procuram a tutela de um guru a fim de ingressar no tradicional caminho monástico: tornam-se monges. Alguns destes discípulos, sendo muito elevados, são dispensados pelo guru, que declara nada ter a ensiná-los. São espíritos que precisam de um guia ainda mais adiantado e a tais discípulos é recomendado "despertar" uma fascinante criatura, o mítico Yidam, uma espécie de divindade tutelar do panteão tibetano. No Tibete, estes seres criados pela mente, sejam divindades, gênios ou demônios, são chamados Tulpas.

Um Yidam é uma entidade das mais curiosas: é uma criação consciente do pensamento do próprio monge. O processo começa com o exercício da imaginação: o estudante dedica-se à meditação sobre figuras, representações dos tulpas do tipo Yidam que, em geral, tem uma aparência demoníaca. Quando está bastante familiarizado com a tradição do Yidam, o aprendiz é enviado a uma caverna em lugar remoto, deserto. Ali, onde ficará em retiro o tempo que for necessário, ele [a] fará, usando pó de giz, um "círculo mágico", conhecido como kylkhor. O traçado do círculo é o primeiro passo na "evocação" ou criação da manifestação visível, aparente do Yidam.

Colocando-se dentro do círculo, o Iniciado começa a visualização do Yidam. Pode demorar semanas ou meses até que aconteça a primeira aparição [ou, alucinação], fato que indica um favorecimento dos deuses. A seguir, o pupilo deve conseguir que o Yidam saia do círculo, o quê pode demandar outros tantos meses. Quando obtém que o Yidam deixe o círculo, é hora de fazê-lo falar. Alcançando esta "graça", resta conseguir a benção do Yidam, quando a divindade coloca as mãos sobre a cabeça do discípulo. Finalmente, como uma última prova, é preciso sair da caverna levando consigo o Yidam que, a partir daí, torna-se guru pessoal do Iniciado acompanhando-o onde quer que vá; e este é o melhor guru que um Iniciado pode ter.

A criação do Yidam é considerada uma prova definitiva de que a realidade é Maya, ilusão, um produto da mente. Mas enquanto a manifestação do Yidam é uma ilusão conscientemente provocada, a "grande ilusão" de todas as grandes e pequenas coisas do dia-a-dia é inconsciente. A "realidade" da vida engendra-se a cada instante emergindo dos pensamentos desgovernados, das idéias fixas em expectativas, ansiedades, temores.

Os Yidam são tulpas visíveis ao seu criador mas existem muitos tulpas invisíveis circulando por aí. São as criaturas nascidas das mentes individuais e circulam e meio às multidões. Alguns, protetores, outros, assombrações! Porque a natureza dos tulpas depende dos pensamentos que dão origem às suas aparições.

FONTE: How to Make a Ghost: Magic and Mysticism in Tibet por Herbie Brennan
IN Thothweb ─ acessado em 23/06/2008

Nenhum comentário:

Arquivo do blog