quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Os Vampiros Reais Sul-Americanos



Um Desmodus rotundus. Pequeno e mortal. Foto: Trinidad, 1956.


VENEZUELA – Na floresta tropical venezuelana dezenas de mortes misteriosas assombram os indígenas. O caso foi investigado por dois pesquisadores University of California: Charles Briggs e Clara Mantini-Briggs. Os sintomas pré-óbito: febre alta, demência, hidrofobia. O agente do mal: morcegos vampiros, hematófagos, [os Desmodus rotundus, sugadores de sangue] infectados com o vírus da raiva

Nos últimos três anos, desde de junho de 2007, somente entre os nativos Warao, foram 38 casos de morte. Esta raiva transmitida pelos morcegos venezuelanos é extremamente malígna e nela os sintomas são extremos: além da fadiga, febre, dor de cabeça, hidrofobia, suas vítimas sofrem formigamentos nos pés seguido de paralisia [caracterizando a doença como do tipo raiva muda], danos no sistema respiratório, no gastro-intestinal e sistema nervoso em geral gerando hiperatividade [na raiva furiosa] e convulsões. O fim acontece entre dois a sete dias depois de apresentados os primeiros sinais.




Esses morcegos são endêmicos na floresta sul-americana. Seus ataques são noturnos, quando abordam animais adormecidos e, fazendo uma incisão com seus dentes afiados, passam a drenar o sangue da presa. Em geral, esses sangue-sugas são conhecidos por vitimar gado porém, as vítimas vezuelanas humanas multiplicam-se. Uma aldeia perdeu 8 de seus 80 habitantes, todos crianças.

O chefe do programa de combate à raiva do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Atlanta, Estados Unidos, Dr. Charles Rupprecht, lembrou que outras epidemias associadas a essa espécie de morcegos têm ocorrido no Brasil e no Peru e recomendou o uso de mosquiteiros e a vacinação como medidas eficazes de combate à doença.

FONTE: BELOV, Timofei. Vampire Bats Spread Rabies Terror.
INPRAVDA English – publicado em 17/08/2010
[http://english.pravda.ru/science/mysteries/17-08-2010/114640-vampire_rabies-0]



Nenhum comentário:

Arquivo do blog