sábado, 14 de novembro de 2009

Cotidiano Maia: Mingau de Milho...



Os raros, escassos registros da cultura dos povos pré-colombianos, depois da profanação jesuíta que destruiu inúmeros documentos [fossem pinturas, tábuas escritas, quipos, etc.] foram, enriquecidos com a descoberta de uma série de murais da cultura Maia. Os murais exibem inscrições hieroglíficas completas que fornecem informações ineditas, únicas para os arqueólogos e para a Humanidade. Os painéis retratam muito mais que o dia-a-dia de uma princesa em seu império. A época: entre 620 e 700 d.C..

Os murais até então conhecidos mostravam a elite governante, vitórias em batalhas ou temas religiosos. Mas nas paredes externas [já conhecidas a algum tempo] e, surpreendendo os pesquisadores, agora, se sabe, nas internas também, de uma certa pirâmide, os arqueólogos encontraram algo de completamente diferente.

A construção esteve enterrada por séculos na selva mexicana. O chamado sítio Maia de Calakmul, localizado em 2004, mostra pessoas comuns em ocupações comuns, como a caça. O curador emérito da Yale University's Peabody Museum of Natural History, Michael D. Coe, comentou: Realmente, não existe nada semelhante a isso em qualquer outro sítio arqueológico conhecido. Isso é a vida cotidiana do povo, gente comum fazendo coisas comuns.


MAIAS: MODA E MESA

São cenas coloridas onde pode-se apreciar as roupas e jóias usadas por diferentes classes sociais em Calakmul, uma das maiores cidades do período maia clássico, datado entre 300 e 900 d.C. Nessa Era, Calakmul era algo como a capital do Reino de Kan [Reino da Serpente], um centro urbano importante no mundo maia.

As imagens mostram a comida servida e as pessoas cozinhando e servindo os alimentos. Nos hieróglifos foram decifrados signos que se referem a curioso títulos de criados como: a pessoa do sal, a pessoa do tabaco. Ali também estão desenhados iguarias que eram essenciais na dieta maia. Em um painel, uma mulher serve um prato de tamales [algo como um pastel feito de farinha de milho cozido no vapor envolto, naturlmente, em palha de milho. Pode ser doce ou salgado, conforme o recheio, como carne, queijo etc. É uma espécie de pamonha mesmo. WIKIPEDIA]; um casal se encarrega do mingau de milho.

Fonte: Maya "Painted Pyramid" Reveals 1st Murals of Daily Life
In National Geographic ─ publicado em 12/11/2009
[http://news.nationalgeographic.com/news/2009/11/091112-maya-pictures-murals-pyramid-food.html]




Nenhum comentário:

Arquivo do blog