sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sanguessugas Ilegais



RÚSSIA ─ Em Lyubertsy, cidade localizada na região metropolitana de Moscou, autoridades policiais descobriram um laboratório subterrâneo onde eram criadas sanguessugas que seriam comercializadas, clandestinamente, para fins medicinais. O proprietário do laboratório, Aramir Dzasokhov, um empresário do Azerbaijão, mantinha sua criação em condições repugnantes, sanitariamente inadequadas e seus funcionários chegaram a sofrer lesões provocadas pelas criaturas. Um deles contou que foi atacado e foi extremamente difícil retirar a sanguessuga de sua perna.

Eram, aproximadamente, quatro mim sanguessugas. Uma parte estava acomodada em containers porém, a maioria [que nojo...] rastejava no chão, nas paredes e até no teto. Estavam em toda parte incluindo um escritório adjacente ao laboratório e também dentro de um aquário.

Dzasokhov tentou se justificar alegando que aquele era seu negócio nos últimos 19 anos. Ele vendia seu produto em Moscou, nas regiões próximas à capital e na internet. Cada animal custava 39 rublos. Argumentou, ainda que sua família, durante séculos, forneceu sanguessugas para os Czares.

As sanguessugas foram enviadas para exames periciais e constatou-se que eram perigosas para a saúde humana. Não eram sanguessugas medicinais. Os especialistas explicaram as medicinais são criadas em laboratórios especializados. As clandestinas, que eram obtidas em pântanos, são inadequadas para fins médicos porque são poluídas: ninguém sabe o sangue com o qual estiveram se alimentando e por isso, estas sanguessugas selvagens podem ser portadoras de todo tipo de infecção.

Além disso, no laboratório clandestino eram mantidas, nas condições já descritas, sanguessugas de duas diferentes espécies: sanguessugas de Krasnodar e e sanguessugas orientais. Esses animais, quanto se encontram, brigam entre si por questões territoriais, lesionam-se e infectam-se mutuamente.

Os policias ficaram perplexos com a descoberta. Um deles declarou: Ele estava causando mais doenças nas pessoas, não curando. Além de infecções, essas sanguessugas estavam espalhando toxinas no organismo dos clientes, o que é muito perigoso para o sistema circulatório.

O laboratório foi descoberto justamente por conta das numerosas queixas de clientes sobre os resultados negativos-noscivos verificados depois da utilização destas sanguessugas. Aramir Dzasokhov, ele próprio, evidentemente, um sanguessuga, pode pegar entre dois e seis anos de prisão por comércio ilegal.

Fonte: Moscow Police Prevents Massive Invasion of Alien Leeches
In Pravda English ─ publicado em 03/11/2009
[http://english.pravda.ru/hotspots/crimes/03-11-2009/110280-leeches-0]




Nenhum comentário:

Arquivo do blog