quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Inferno Africano: Porque a Escravidão, na África, Faz Parte da Cultura Popular!

África – A Escravidão de cidadãos africanos durante a expansão europeia no Novo mundo é sempre lembrada como uma horrenda mancha histórica. E de fato, é horrenda e, em última instância, injustificável. 

Nesse contexto, são sempre lembrados os execráveis colonizadores-navegadores portugueses, os "miseráveis judeus" envolvidos no aviltante comércio de gente! Jamais são lembrados os monstruosos africanos que venderam sua própria gente em troca de cachaça, por exemplo. (Como se aqueles africanos não tivessem suas próprias cachaças!)

Aqui e ali aparecem especulações sobre a concessão de diferentes tipos de compensações para a população afro-descendente nas Américas. 

Estranho é que a escravidão de africanos, hoje! atualmente, seja tão pouco comentada nos midia e pelos militantes da causa dos negros e afro-descendentes de escravos. Sim, isso é very strange, tanto empenho em afirmar e resgatar os direitos dos descendentes dos escravos do passado e tanta indiferença pelos escravos africanos em solo africano no PRESENTE!

A realidade do comércio de escravos na África pós-moderna (!?) chega a parecer uma mentira, um parêntese que abriga o terror de uma ficção-pesadelo em meio a uma realidade onde o Navio Negreiro NÃO PODE, de jeito nenhum ter qualquer espaço. Está mais do que na hora da África prestar as devidas satisfações ao mundo sobre a manutenção dessa sua maldita "cultura de bárbaros" [L.C.].

Muita gente pensa que a escravidão é uma coisa do passado mas a Escravidão continua a ser um dos fenômenos mais vergonhosos da Humanidade, hoje. Em 20 de dezembro (2010), a Interpol resgatou 140 crianças no Gabão, África. 

As crianças eram forçadas a trabalhar em mercados, usadas como escravas. Algumas não chegavam aos seis anos de idade. Essas crianças são raptadas ou compradas, dos próprios pais, em outros países mais pobres que o desgraçado Gabão que permite essa prática. As crianças recuperadas foram enviadas à orfanatos.

O Gabão, um dos países mais estáveis do continente Africano. É um país rico em petróleo, gás, manganês e minério de Urânio. 

Sua renda per capita era de 13 mil e 900 dólares, em 2009. Todavia, está claro que cidadãos e, principalmente governantes deste país, não são pessoas civilizadas, posto que aceitam, sabem, consentem no comércio de escravos em suas cidades.

Segundo fontes não-oficiais, a escravidão também prospera! em países onde foi abolida, finalmente, há poucas décadas atrás. 

Como na Mauritânia, onde a Abolição da Escravatura somente foi oficializada em 1980! Porém, ali, a lei é letra morta. Os ex-escravos [meus Eus!] os forros! da Mauritânia continuam escravos porque não lhes foi oferecida nenhuma alternativa de "inclusão social". Permanecem escravos por falta de opção.

Em Níger, a Escravidão somente foi abolida em 1995! Na realidade, segundo a Timidria, ONG que luta pelos direitos humanos  dedicada à erradicação da Escravidão naquele país, somente em 2003, 870 mil pessoas permaneciam escravas no país. 

Atualmente, enquanto o governo do Níger nega a existência de escravidão, a Timidria afirma que ainda existem, ao menos, 43 mil cidadãos que permanecem escravizados. Muitas dessas pessoas são conhecidas como Sadako; são mulheres. De acordo com a ONU e as organizações de direitos humanos, a situação também verifica-se com gravidade no Sudão, somália e Angola.

Sergey Karamayev, especialista russo na questão explica: Oficialmente, a escravidão não existe mais em nenhum lugar do mundo mas a verdade é absolutamente diferente. A escravidão continua a prosperar em países como o Congo e Serra Leoa (...e a lista de países africanos escravagistas somente aumenta!).

Em meios aos conflitos armados que disputam poder político, facções rivais utilizam escravos. Existem várias categorias de escravos: combatentes, para transportar armas ou mesmo lutar na defesa de seus raptores. Outra categorias cuida dos trabalhos domésticos como cozinhar e lavar roupa. Outros, são escravos e escravas sexuais. Há os que trabalham em minas e escavações.


Escravidão no Mundo

Todavia, o fato, que em nada minimiza a situação africana, é que a escravidão existe, também, em outros países, como no (chamado) Terceiro Mundo. 

A Escravidão, ainda que clandestina, ilegal, pode ser encontrada no Sul e Sudeste da Ásia, em países como Paquistão, Sri Lanka, Nepal, Birmânia; no Oriente Médio e na América Latina.

A Europa também tem um submundo de escravos cujo número é estimado em 400 mil pessoas. No Velho Mundo, predomina a escravidão sexual. 

Boa parte destes escravos e escravas, incluem crianças e são "importados" por agentes africanos estabelecidos em países europeus. 

Escravidão sexual que também foi localizada nos Estados Unidos, Israel, Turquia e Hong Kong. O mundo do terceiro milênio d.C. possui, hoje, cerca de 30 milhões de seres humanos escravizados. Um especialista da ONU informa: um escravo sexual produz até 7 mil dólares mensais de renda para seu proprietário.

FONTE: BALMASOV, Sergei. Slavery, African style, continues to prosper. 
IN Pravda English publicado em 22/12/2010.
[http://english.pravda.ru/hotspots/crimes/22-12-2010/116313-slavery-0/]

6 comentários:

Paulo Luiz disse...

Com todo o sofrimento que passam os africanos, eu pergunto, onde esta o Deus da Bíblia que nada fás, sera que é conivente ou ele nem existe. Seria mais louvável dizer que não existe.

Ana Clara disse...

Ola Meu Caro, existe Um poder Superior a nos eu chamo de DEUS, vc acredita em reencarnaçao?! Pois existe Tb a colheita cada Um de nos colhemos o que platamos, Nao estou julgando essas pessoas que sao escravizadas ou mesmo nos, Nao escravos, é que viemos ao Planeta terra) Pra resgatar mossas dividas ou Tb tem os missionarios que Nao devem nada Pra justiça Divina mas vem com o objetivo de amparar os nossos irmaos, vc jà se perguntou porque tem pessoas que pratica tanto e depois simplesmente morre?! Acredito que sao essas pessoas que depois vem em situaçoes tao precarias, foram mais de 300 anos de escravatura, e Tb teve senhores que na encarnaçao seguinte vinham como escravos pra colher o mal que ja tinha feito ao seus.

Mariana Vargas disse...

Os comentários anteriores são tão ridículos e alienados que pensei se realmente valia a pena comentar. Mas isso precisa ser dito: desgraças e imundices humanas como a escravidão não são fruto de "castigo divino" ou algo do gênero. Se existe um Deus, um ser superior, ele não tem nada a ver com isso. A escravidão é apenas o fruto da estupidez, egoísmo, ganância, maldade humanas e de tantos outros aspectos da natureza dos seres humanos que levam a existência de aberrações como essas.

Mas falando do texto propriamente, tenho questionamento semelhante ao colocado: por que a mídia não trata desse assunto? Existem centenas de milhares de pessoas escravizadas não somente no continente africano, onde a ocorrência é bem maior, mas também em muitos outros lugares do mundo. Por que o povo africano ainda mantém em sua cultura o absurdo da escravidão? Por que esses seres humanos são comercializados e tratados como objetos por seus semelhantes? Por que o restante do mundo não se atenta a isso? Se pensarmos na forma como vivemos hoje, que muitas vezes chamamos de escravidão (somos submetidos pelo capitalismo, explorados e impedidos de viver de verdade) ela nem ao menos pode ser comparada à forma como esses seres humanos vivem (vivem?). O que podemos fazer quanto a isso? Podemos fazer alguma coisa? O primeiro passo é questionar por que isso acontece até hoje e esse conhecimento não chega à maior parte do mundo. Talvez isso tenha a ver com aquela outra escravidão a que nós somos submetidos.

Anônimo disse...

Olá Paulo. Vc não está só. Juntamente contigo deve ter outros ateus se perguntando sobre isso. E sabe no que isso altera em quem é Deus? NADA.

Unknown disse...

Tem que ser muito imbecil pra culpar Deus pela escravidão e mais imbecil culpar pela fome.

Irlan Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Marcadores

. mistério abduções Afeganistão África África do Sul Alaska Alemanha alienígena alienigenas alienígenas Alioshenka amazonas Amazonia Amazonia peruana América Latina animais gigantes anjos Antártida antigas civilizações antiguidade antropologia antropologia esotérica Anunnaki Arábia Saudita Argentina arqueologia arqueologia extraterrestre arqueologia insólita arquitetura Arte Ártico assombração astrofísica astronomia Atlantes Atlântida Austrália Austria Azerbaijão Baba Vanga baleias Báltico Bigfoot biologia biologia fantástica biologia marinha biologia ocultista bioquímica bizarro Bolívia Boriska Bósnia botânica Brasil bruxaria Buddha Boy budismo Bulgária California Camboja Canadá canibalismo casamentos bizarros Casaquistão catolicismo Cazaquistão celulares assombrados CERN cetáceos CHAMEM OS IRMÃOS WINCHESTER Chile China chupa-cabras chuva de peixes ciberassombrações ciência CIÊNCIA DE FRONTEIRA ciência do óbvio ciência e ocultismo ciências ocultas cipriano civilizações perdidas coisas da Índia coleção Colômbia comportamento conspiração conspirações costumes criaturas estranhas criaturas míticas crime criptozoologia cristianismo Croácia cultura inútil curiosidades Deus me defenda Dinamarca dinossauros Divina Comédia Drácula dragões druidas ecologia ecossistema Egito Emirados Árabes entidades não-humanas Equador Escócia esoterismo espaço espaço cósmico Espanha espiritismo espíritos espiritualidade estranha antropologia estranha arquitetura estranha biologia estranhas criaturas estranhas nuvens estranhas tradições estudo EUA evolução exobiologia exorcismo extraterreste extraterrestre fadas Falta do Que Fazer fanatismo fantasma fantasmas fatos estranhos fatos inexplicáveis feitiçaria fenômenos apocalípticos fenômenos atmosféricos fenômenos cósmicos fenômenos estranhos fenômenos naturais fenômenos sobrenaturais feral children Filipinas fim de um Tempo fim do mundo Finlândia fireball Física de Partículas Florida folclore fotos de fantasmas França genética geografia geologia Ghost golfinhos Grã Bretranha Hanuman Harry Potter Havaí hinduismo História história apócrifa história perversa Holanda holismo Hong Kong humandoll humanidades humanoide Hungria idade média ideia de jerico ieti ignorância Igreja Católica Ilha da Páscoa India Índia indigo children Indonésia inexplicável inferno inferno africano inferno comunista inferno muçulmano Inglaterra insólito inteligências não humanas Irã Irlanda Israel Itália Japão Jesus jornalismo Forteano Júpiter juventude eterna Kalachi Kazaquistão Kenia KGB Kolbrin Kraken Krasnodar Kung Fu Lady Green Lago Baikal lago Natron Laos Latvia lebres-do-mar lei Lemúria lenda lenda urbana lixo espacial lobisomem Loch Ness Londres Los Tayos lugares assombrados lugares misteriosos macabro macacos magia magia negra maias Malásia Malawi mamíferos marinhos mar Cáspio Mar dos Sargaços Marajó Marrocos Marte Matéria Escura Mato Grosso do Sul Máxico Mecca medicina meio-ambiente metafísica México michael jackson milagres miragem mistério mistérios mistérios cósmicos misticismo mitologia mitologia contemporânea mitos e lendas moda Mongólia monstro de loch ness monstros monstros do mar Moscou mudanças climáticas Mulheres na História múmia de Altai múmias mundo mundo animal mundos perdidos mutações mutantes Natureza natureza fantástica naufragios navios de piratas Nepal Nibiru Nicarágua Nigéria Nikola Tesla noética Noruega Nosferatu Nova Zelândia numismática objetos assombrados objetos estranhos objetos malditos Oceano Pacífico oceanografia ocultismo ondinas orbs Oregon ouija OVNI OVNI NA ARTE OVNI-Cubo OVNIs paganismo paleontologia Panamá Papa Francisco papado papagaio Papas Papua-Nova Guiné Papus Paquistão Pará Paraguai Paraíba paranormal pareidolia partenogênese pé grande peixe-lua peixes suicidas personagens históricos Peru pirâmides piratas Planeta Inferno plantas plasma-luz Pokaini política Polônia poltergeist poluição Popocatepetl Portugal pós-modernidade possessão post mortem povos misteriosos pré-história primatas Primeira Guerra Mundial prodígio profecias profetas psicologia psiquiatria Quênia química realidade fantástica realismo fantástico Reeks island reencarnação Reino Unido religião reptilianos rituais robótica Romênia Roswell Runah Shah Rússia Russian humandoll Saara sacrifícios humanos Santiago del Estero Santiago do Chile santo sudário São Paulo sasquash satanismo Saturno segredos da Lua Segunda Guerra seitas sereianos sereias seres mitológicos serpentes Sérvia sexo Shambala Sheldrake showbizz Sibéria Singapura Sobral-CE sobrenatural sociedade sociologia Sol Somália Sri Lanka Staffordshire strange clouds strange phenomenons SUDÃO Suécia Suíça superstições Swedenborg Tailândia Taiwan tantra Tanzânia Taro tartaruga tatoo tecnologia tecnologia antiga telefones assombrados telepatia Templários templos tenha medo teologia teosofia Teotihuacan Terra Terra Oca terremoto tesouros Texas Texoma texto recuperado Theodora Tibete time travel Titã Tocantins tradições transhumanismo Tratado elementar de magia prática tsunami tubarão Turcomenistão turismo Turquia Tutburycastle Ucrânia UFO UFO-Cubo ufologia UK ultrassom Universo Urano Uruguai USA Utha Uzbequistão Valeria Lukyanova vampirismo vampiros vaticano Venezuela vermes horrendos viajantes do tempo vida além da vida vidência video vídeo vídeos de fantasma Vietnam vikings VÔO MH370 voodoo voomh370 vórtex vulcanismo Washington windigo Wingan Wolf Messing yeti Zâmbia Zimbabwe zonas anômalas zoofilia zoologia zoombi zumbis