segunda-feira, 15 de julho de 2013

O Vampiro de Quatro Mil Anos


A cabeça do Vampiro de Mikulovice

LINKS RELACIONADOS
BREVE HISTÓRIA, GEOGRAFIA & CIÊNCIA DO VAMPIRISMO
 

[http://www.sofadasala.com/ocultismo/vampirismo01.htm]
LILITH, NA CRÔNICA DE CAIM

[http://www.sofadasala.com/ocultismo/lilithnacronicadecaim.htm]
LILITH, A LUA NEGRA
 [http://www.sofadasala.com/ocultismo/lilith.htm]

REPUBLICA CHECA, JULHO DE 2008. A TN - TV NOVA online checa publicou o texto e o vídeo da reportagem: Arqueólogos do East Bohemian Museum, na região de Pardubice [http://pt.wikipedia.org/wiki/Pardubice] (situada à margem do rio  Elba), durante escavações em um povoado (pouco mais de mil almas em 2010) - chamado Mikulovice ] - encontraram uma sepultura da Idade do Bronze. Com idade estimada em 4 mil anos, seu igualmente milenar ocupante foi, segundo indícios, um vampiro.

Os cientistas chegaram a esta conclusão porque o sepultamento apresenta características ao chamado "enterro antivampiro", ou seja, medidas preventivas são tomadas para que o morto não se levante. O corpo foi enterrado com duas pesadas pedras, colocada, uma no topo cabeça e outra, sobre o peito a fim de que, despertando, o amaldiçoado não possa se levantar e sair da tumba.

O achado do "Vampiro de 4 mil anos" pode ser uma evidência significativa do quanto é antiga é a crença nestes seres, hematófagos sobrenaturais e como uma tradição pode atravessar as Eras históricas e chegar à atualidade.

O costume de usar grandes pedras, colocando-as sobre o peito de um defunto (a) para deter sua transformação - e retorno, ao mundo dos vivos - como de um vampiro, esse costume, foi preservado até os dias mais recentes da contemporaneidade e, em alguns lugares, onde a crença permanece, essa prática não é de todo descartada.


VAMPIROS: UMA LINHAGEM, UMA RAÇA



Representação de um vampiro do leste europeu

Além disso, considerando o Vampirismo como um fenômeno real, possível, sobrenatural ou não, essa descoberta estabeleceria uma antiguidade de 4 mil anos para a linhagem dos Humanos Hematófagos Mortos-Vivos, Mortos-Que-Andam, criaturas cujo coração não pulsa e cuja única necessidade vital é ingerir o sangue dos seres humanos.

A origem de tal linhagem poderia, então, ser ainda mais antiga, chegando perto da parábola esotérica de que todos os Vampiros deste planeta são descendentes de um patriarca, gerador de um único clã matriz de todos os não-mortos sangue-sugas. 

Porque no contexto das Ciências Ocultas os Vampiros são considerados os herdeiros de Caim e CAIM, por sua vez, é o arquétipo de toda uma Raça de Humanos caracterizados pela longevidade baseada em uma alimentação exclusivamente antropo-hematófaga.

Os Cainitas, em esoterismo não são adeptos de um culto. Antes, são uma Raça, a expressão de uma genética específica cuja principal característica é o apetite exclusivo e compulsivo por sangue humano.

Segundo os antropólogos, túmulo do Vampiro de 4 Mil Anos guardou sinais inequívocos de que, na comunidade em que viveu, era tido como um ser vampiresco ou, ao menos, capaz de levantar-se da tumba. Procedimentos específicos foram realizados para manter o cadáver na cova.

O homem estava enterrado em um local distante dos outros túmulos do mesmo período e o esqueleto (ou, o corpo, há 4 mil anos), foi sobrecarregado com pedras para impedi-lo de "voltar" e assombrar os vivos.


CONEXÃO CELTA

Os anais históricos registram que o único povo que possuía rituais fúnebres contra o Vampirismo naquela época remota era o povo Irlandês da Antiguidade. Então, o reino irlandês de Dalriada estendia-se desde a atual Irlanda do Norte até a Escócia Ocidental.

O curador do East Bohemia Museum, Radko Sedlacek, comentou: Temendo que ele (o morto) pudesse voltar do túmulo, o cadáver foi "equipado" para sua viagem final sobrecarregado com uma enorme pedra em seu peito e outra na cabeça. Somente os corpos das pessoas consideradas vampiros recebiam esse tratamento.

Esse antigo ritual foi praticado entre aqueles irlandeses até o século XVII (anos 1600): usar pedras grandes para segurar os cadáveres de suspeitos de serem ou virem a se tronar Dearg-gul, vampiro.


Em 2008, o achado deste "vampiro" foi chamado, em muitas reportagens, de "Conexão Celta". Conexão cultural entre a Bohemia e Irlanda, sugerindo a migração de tribos celtas ou, os bohemios teriam levado o mito e as tradições sobre vampiros para as Ilhas Britânicas.

Os antropólogos também cogitam na possibilidade de que certos grupos proto-celtas (primitivos mesmo) tenham praticado o canibalismo, aterrorizando outras comunidades que repudiaram (ou já haviam superado) esse grau de selvageria. Há teóricos que, nesse e em outros casos, atribuem o canibalismo, entre outras origens, a pura necessidade. Fome, provocada por colheitas escassas, falta de caça...

Radko Sedlacek observa que o movimento migratório ocorreu, de fato, de leste para oeste e o Vampiro de Mikulivice seria uma evidência a mais desse movimento. Seu túmulo, é o mais antigo túmulo um suposto vampiro já encontrado em solo europeu.


O CEMITÉRIO DE CELAKOVICE


Cemitério de vampiros, em Celakovice
IMAGEM: RADIO PRAHA/REPÚBLICA CHECA, 27/10/2004
[http://www.radio.cz/en/section/czechs/creatures-of-the-night]

Em 1966, o arqueólogo Jaroslav Spacek diretor do Celakovice's Museum (em 2004), foi chamado para examinar um conjunto de sepulturas "incomuns", descobertas durante  os trabalhos de uma construção. 

Localizadas 30 km ao norte de Praga (capital da República Checa), datadas entre os séculos X e XI (anos 900 e 1000 d.C.) - elas faziam parte de um único cemitério de vampiros. O lugar ficou conhecido como o Cemitério de Celakovice. Na época, Jaroslav Spacek relatou:

Todos os esqueletos, enterrados em covas separadas, mostravam sinais indicativos de rituais anti-vampiros. Alguns foram "ancorados" no solo (com peso, pedras); outros, tinham um prego enfiado na têmpora; foram amarrados ou, de alguma outra maneira, imobilizados ou tinham suas cabeças cortadas e enfiadas para baixo, de modo que não pudessem ver nem encontrar o caminho de volta para o mundo dos vivos. Esses notáveis rituais indicam que esses defuntos eram algo como fantasmas aos olhos daqueles povos (e ainda) na Idade Média.

[http://www.sofadasala.com/ocultismo/vampirismo01.htm]
[http://www.sofadasala.com/ocultismo/lilithnacronicadecaim.htm] 
[http://www.sofadasala.com/ocultismo/lilith.htm] 

FONTES

Archeologové vykopali hrob upíra!
TV NOVA/CZECH, publicado em 09/07/2008
[http://tn.nova.cz/zpravy/regionalni/archeologove-vykopali-hrob-upira.html]
Vampires: the Celtic Connection
HERALDS SCOTLAND, publicado em 15/07/2008
[http://www.heraldscotland.com/vampires-the-celtic-connection-1.828968]

Nenhum comentário:

Arquivo do blog