quarta-feira, 20 de abril de 2011

México: Mistérios de Teotihuacan


O trabalho no subterrâneo do templo de Quetzalcóatl

TEOTIHUACÁN, México — No sítio arqueológico de Teotihuacán, 40 km a sudoeste da cidade do México, uma equipe de arqueólogos descobriu um túnel que pode ter muito a revelar sobre as civilizações pré-colombianas.

O local foi descoberto por acaso, em 2003, quando as fortes chuvas que caíram na região puseram a descoberto uma pequena cratera. Porém, somente em 2009, os cientistas começaram a escavar o lugar — com o apoio do Instituto de Antropologia e História do México (INAH).

Os pesquisadores acreditam poderia conduzir à uma câmara funerária de governantes de Teotihuacan, porque nenhum deles, nenhuma necrópole ou tumbas foram encontrados até hoje. 

O arqueólogo Sérgio Gomez comenta: Teotihuacan significa "lugar dos deuses" ou "cidade dos deuses". Era um centro religioso construído para ser uma réplica do universo. O túnel que estamos procurando seria uma espécie de porta para o submundo. Acreditamos que a arquitetura da cidade esconde uma réplica também do submundo.



Os historiadores estimam que a cidade floresceu no começo da Era Cristã. Teotihuacan foi, possivelmente, a cidade mais importante da América do Norte em sua época de esplendor. Sua população máxima pode ter sido 200 mil habitantes. Ocupando uma área de 25 km², somente 5% do sítio arqueológico foi explorado. Teoatihuacan foi abandonada por volta do século VII.

Em agosto de 2010, depois de escavar cerca de 12 metros, os arqueólogos encontraram o que poderia ser a entrada de um túnel. A hipótese estava correta. A entrada do túnel estava deliberadamente bloqueada — com pedras, objetos e peças do que pode ter sido um templo destruído. Já foram removidas 300 toneladas de materiais diversos: pequenos objetos feitos de jade, conchas, ossos.

Uma pequena câmara-robô, usada pela primeira vez em uma pesquisa arqueológica no México, explorou uma pequena entrada. Um radar permitiu avaliar a possível extensão do túnel: cerca de 120 metros. As hipóteses sugerem que no final do corredor podem existir ao menos três câmaras mortuárias abrigando restos mortais de governantes de Teotihuacan.

A ideia resulta da localização do sítio que parece parece percorrer o subsolo da área do templo da "Serpente Emplumada" (Quetzalcóatl). A delicadeza exigida pela exploração implica um trabalho que deve durar anos. Mas é um começo para desvendar o grande mistério que é a origem e o abandono da poderosa cidade de Teotihuacan.

FONTE: NICHOLSON, Sophie. Unos arquéologos buscan en un túnel los secretos de Teotihuacán.IN Google/AFP, publicado em 07/04/2011
[http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5iwsL9Xn0J5XPAHRRThKkfkIq8NCg?
docId=CNG.d9537645f26505042c24a73e3115be9f.2141]

Nenhum comentário:

Arquivo do blog