domingo, 21 de dezembro de 2008

Resgate: Golfinhos e Baleias Salvam Pescador


Drª Terry Aquino [cetáceooops... dir.] consultora de mamíferos marinhos na CI-Sulu Sulawesi Seascape, em Puerto Princesa City, Palawan, Filipinas, durante um treinamento sobre biologia e conservação e resgate de mamíferos marinhos e tartarugas. Foto: Photo © CI/Art Faburada, 2006

PUERTO PRINCESA CITY, Filipinas: Na segunda-feira, 8 de dezembro [2008], o pescador de atuns Ronnie Dabal salvou-se "miraculosamente" de um naufrágio graças ao resgate que lhe foi prestado por uma "tropa" golfinhos e duas baleias. 

Aconteceu em Puerto Princesa Bay, em Puerto Princesa City, capital de Palawan, província insular das Filipinas, oceano Pacífico. Dabal foi surpreendido por uma forte ventania de tempestade chuvosa. 

Perdeu o barco e ficou ao sabor das ondas por quase 24 horas, apoiado em um pedaço de poliestireno. Lutando contra o tempo, ele rezava porque estava perdendo as energias; já não podia remar com os braços; as pernas estavam fracas, pesadas.


Ele começou a sentir a presença de pequenos crustáceos, chamados bugto. Começavam a mordiscar as partes macias de seus membros. O homem começou a sangrar e temeu. Com o cheiro do sangue, os tubarões poderiam aparecer a qualquer momento. Caiu a noite e Dabal já perdia qualquer esperança de salvação quando, surgidos do nada, apareceu um bando de golfinhos.



Eram mais ou menos trinta indivíduos e estavam acompanhados por duas baleias, cada uma medindo cerca de 10 metros de comprimento. Os animais cercaram o homem e apoiaram-no em ambos os lados. 

O pescador estava sendo sustentado nas nadadeiras peitorais de dois golfinhos que nadavam, empurrando-o em direção à praia. Eles se revezavam e o resto do grupo escoltava o náufrago claramente posicionados em formação de defesa.


Uma especialista em cetáceos, Drª Terry Aquino, identificou as espécie dos heróis: "Baseada na descrição dos animais, os golfinhos eram provavelmente da espécie spinners ou Golfinho-rotator enquanto as baleias seriam baleias-piloto". Lentamente, o cortejo conduziu o pescador até a beira do mar, na praia de Barangay.


A experiência de Dabal é ainda mais curiosa porque além de ser um pescador profissional de Atum, ele é um defensor dos cetáceos, treinado pela Palawan NGO Network e ABS/CBN Kalikasan Foundation, ambos os grupos dedicados a promover o turismo ecológico marinho tendo como atração os golfinhos e baleias de Puerto Princesa e o compromisso de preservar as águas da Baía da poluição [que envenena os mamíferos marinhos] e da pesca predatória.


Esta não é a primeira vez que golfinhos salvam humanos náufragos: Drª Aquino comenta que são necessárias mais pesquisas científicas para explicar o fenômeno. "Eu mesma conheço três ocorrências semelhantes acontecidas aqui, em Palawan. 

Há muitos registros de sobreviventes resgatados por golfinhos. Eles são criaturas muito sociais e são reconhecidamente inteligentes. Alguns pesquisadores acreditam que são capazes de experimentar emoções".

Os golfinhos têm muitos pontos em comum com os homens além da linguagem: alcançam a maturidade com a mesma idade dos jovens humanos, são muito sociáveis, vivem em famílias e possuem memória cumulativa bastante desenvolvida.

LINKS:

In Inquerer.net - publicado 16/12/2008

OS GOLFINHOS DE JÚPITER

Há alguns anos atrás a sonda espacial Galileo, da NASA, detectou movimento sob uma densa camada de gelo em Europa, uma das luas de Júpiter, quinto planeta do sistema solar. Na ocasião, a sonda estava a uma altitude de 400 quilômetros de distância e o movimento era produzido por uma massa de água em estado líquido.


Esta já teria sido uma grande descoberta porém não foi apenas movimento que a sonda descobriu; os sensores acústicos captaram também sons agudos, semelhantes a assobios que vinham do mesmo local. A NASA vinha mantendo em sigilo esta informação e somente agora os detalhes da Galileo Interestellar Mission estão aparecendo.


O astrônomo do Kennedy Space Center, Simon Clark, comenta: "Os cientistas estão muito espantados com o resultado da análise computadorizda dos sons. A freqüência captada, proveniente do oceano subglacial de Europa é extremamente semelhante à freqüência dos sons produzidos pelos golfinhos que habitam os mares das Terra. A margem de erro é de 0,001% (uma para mil)."

A descoberta da Galileo é particularmente interessante para Simon; ele é o autor de uma teoria segundo a qual os golfinhos seriam nativos de uma das luas de Júpiter. A confirmação de que estes sons foram captados de uma fonte extraterrena, jupteriana, é um estímulo forte para as pesquisas, que há muito tempo vêm sendo realizadas, sobre a linguagem dos golfinhos.

Outro cientista, Lawrence Doyle, do Instituto de Pesquisa da Inteligência Extraterrestre (Search for Extraterrestrial Intelligence Institute), considera as informações fornecidas pela sonda como evidênca da origem cósmica da linguagem dos golfinhos.

Os golfinhos têm muitos pontos em comum com os homens além da linguagem: alcançam a maturidade com a mesma idade dos jovens humanos, são muito sociáveis, vivem em famílias e possuem memória cumulativa bastante desenvolvida. LEIA MAIS

FONTE: Dolphins speak the language of creatures living on Jupiter?
In PRAVDA/ENGLISH - publicado em10/03/2006
[tradução originalmente publicada em www.sobrenatural.org em 19/03/2006

Nenhum comentário:

Arquivo do blog