sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Mulher Vira Homem Para Escapar de Repressão


ÍNDIA – A notícia saiu no Times of Índia. Junho, 2010: em um hospital particular, em Bhubaneswar, uma mulher, advogada, pouco mais de 30 anos, submeteu-se a uma cirurgia, de sete horas de duração, para trocar de sexo. Não. Em princípio, não se tratava de um caso de lesbianismo.

Ela virou homem para escapar a um casamento forçado. Durante a recuperação ela/ele declarou: Agora me sinto livre. Ninguém pode me forçar a casar. É melhor ser um homem e se livrar dos sofrimentos que as mulheres enfrentam.

Os médicos justificaram o procedimento alegando que a mulher ameaçou se matar caso a operação não fosse feita. Fontes transversas, todavia, dizem que a mulher é lésbica mesmo e tem uma namorada. Isso, porém, não importa. Não é a primeira vez que mulheres oprimidas em países islâmicos, especialmente, apelam para a mesa de cirurgia para se livrar do Inferno Muçulmano.

FONTE: Woman in India has sex change to avoid forced marriage.
IN News, Austrália publicado em 06/07/2010.
[http://www.news.com.au/world/woman-in-india-has-sex-change-to-avoid-forced-marriage/story-e6frfkyi- 1225888330322]


abril de 2006
VALE A PENA LER DE NOVO


MULHERES SAUDITAS TROCAM DE SEXO

ARÁBIA SAUDITA – As mulheres do mundo islâmico vivem um problema psicosocial: rígidas leis restringem sua liberdade enquanto elas convivem diariamente com estímulos ao consumo de produtos, como carros e roupas que não podem guiar ou usar, lugares onde podem ir; entram em contato com o conhecimento sobre os costumes ocidentais mas têm de continuar submissas ao controle masculino. O resultado são os questionamentos, problemas psicológicos, distúrbios comportamentais.

Na Arábia Saudita, cansadas de sua posição subserviente aos homens, cinco mulheres decidiram se submeter a uma operação de troca de sexo! A notícia, publicada no jornal Watan, informa que a cirurgia, realizada fora do país, foi justificada porque as pacientes haviam desenvolvido um "complexo psicológico" de rejeição ao próprio sexo devido à dominação masculina.

Na Arábia Saudita, o islamismo regula de forma especialmente severa a sociabilidade das mulheres: elas não podem dirigir carros nem freqüentar lugares públicos sem a companhia de um homem que seja seu parente. Apesar da inusitada ousadia, as cinco mulheres escaparam a qualquer rigor ou penalidade legal porque os códigos de conduta islâmicos simplesmente não contém nem uma linha sobre um caso semelhante a este.

Trata-se de uma lacuna da legislação que escapou a qualquer tentativa de aplicar jurisprudência baseada em ocorrência análoga. O caso está sendo analisado por autoridades judiciárias e médicas mas já foi descartada a punição para as cinco ex-mulheres até porque, agora, "elas" são homens!

Fonte: NEWS YAHOO – REUTERS
tradução: Ligia Cabus – publicado em 03/04/2006
IN [http://uk.news.yahoo.com/03042006/80-132/5-saudi-women-change-sex.html – acessado em 2006]


Nenhum comentário:

Arquivo do blog