terça-feira, 29 de setembro de 2009

Hitler Polêmica: Morreu ou Fugiu?



O suicídio de Adolf Hitler sempre foi um ponto questinado no conjunto de fatos que marcaram o fim da Segunda Guerra Mundial. Agora, a polêmica é renovada. Pesquisadores norte-americanos, com base em novos exames, afirmam que o fragmento de crânio perfurado a bala, até hoje considerado como pertencente ao ditador nazista, na verdade, faz parte do crânio de uma mulher desconhecida que morreu com cerca de 40 anos; Hitler morreu aos 56.

Os supostos restos mortais de Hitler e sua mulher foram cremados a fogo de gasolina. Ele, diante da derrota, já no bunker, teria tomado cianeto e, a seguir, ordenado a própria execução. Os ossos carbonizados teriam sido encontrados e recolhidos pelas tropas russas no bunker de Berlim, incluindo o fragmento de crânio perfurado e ossos dos maxilares.

O novo questionamento apareceu em documentário do History Channel. Em Hitler's Escape menciona-se o trabalho do arqueólogo e especialista em ossos Nick Bellantoni, que teve acesso a amostras de DNA do crânio de Moscou. As amostras foram submetidas a testes na University of Connecticut. Especulações de que o fragmento pudesse pertencer a Eva Braun [Eva Anna Paula Braun, 1912-1945 ─ óbito, portanto, aos 33 anos], mulher de Hitler [casada por um dia], foi descartada porque Eva, ao que se sabe, apenas tomou cianeto e, possivelmente, já chegou ao bunker morta.

As descobertas fornecem fôlego renovado às teorias conspiracionistas que sugerem a sobrevivência de Hitler em meio ao caos de fim de guerra. Uma necessidade de fuga, em caso eventual de derrota teria, até mesmo, sido prevista.

Nesse caso, alguns adeptos da teoria da não-morte de Hitler, acreditam que o ditador escapou em um vôo clandestino rumo à América do Sul. Outros propõem destinos mais fanásticos: bases ocultas, na Antártida; no Ártico; no Tibet; e o corpo encontrado pelos soviéticos, no bunker, seria de um dublê.

As dúvidas se intensificam com a informação de que a mandíbula e o fragmento de crânio foram recolhidos em momentos diferentes: os maxilares, oficialmente reconhecidos pelo assistente do dentista de Hitler, foram encontrados em 1945 porém, o fragmento de crânio, somente foi recuperado no ano seguinte, em 1946, quando começaram os rumores de que Adolf Hitler tinha sobrevivido.

Todavia, certamente nada há que se temer. Se Hitler de fato tivesse escapado e estivesse vivo, hoje, seria um velhinho de 120 anos que, a essa altura, ia preferir jogar dominó de pijama a ter que, novamente, se aborrecer com trabalhão e mega-mico de tentar dominar o mundo! Meditemos...

Fonte: OSBORN, Andrew. Adolf Hitler suicide story questioned after tests reveal skull is a woman's
In Telegraph, UK ─ publicado em 28/09/2009
[http://www.telegraph.co.uk/news/newstopics/world-war-2/6237028/Adolf-Hitler-suicide-story-questioned-after-tests-reveal-skull-is-a-womans.
html]




Um comentário:

Anônimo disse...

Hitler fugiu da Alemanha e veio para Portugal (onde tinha uma casa), de Portugal foi para o México e do México foi para a Argentina, onde permaneceu até morrer. Existem testemunhos que passaram de avós para pais e filhos destes acontecimentos. A casa dele ficava perto de Coimbra.

Arquivo do blog