sexta-feira, 8 de abril de 2011

Fobos – O Mistério das Luas de Marte


Fobos – É um dos dois satélites de Marte. O outro é Deimos. Fobos vem sendo encarado com certa desconfiança pelos cientistas há várias décadas. No centro de toda a suspeita está na ideia de que Fobos não é um satélite natural. Ao contrário, seria um corpo artificial, fruto de tecnologia e ciência, de uma inteligência extraterrestre desconhecida.

A questão foi levantada ainda nos anos de 1960 quando o astrofísico Iosif Samuilovich Shklovsky junto com Carl Segan, tratou do tema no livro Intelligent life in the universe.

Ambos os cientistas, depois de calcular e analisar o movimento orbital do satélite marciano concluíram que Fobos é uma lua artificial; o corpo é oco e, possivelmente, trata-se de uma nave espacial.

As duas luas de Marte, Fobos e Deimos, nomes de origem grega significando Medo e Horror, respectivamente, foram descobertas em 1877 pelo astrônomo norte-americano Asaph Hall. Ambas são, astronomicamente, consideradas estranhas. Tal como muitos outros astrofísicos, Shklovsky ficou intrigado com esses satélites.

A primeira estranheza é o tamanho: as luas são muito pequenas. Nem um outro planeta deste sistema solar tem luas tão minúsculas como as de Marte. Poderiam ser meteoritos capturados pelo campo gravitacional do orbe mas, neste caso, as órbitas não correspondem ao que poderia esperar. Também é pequena demais a distância entre os satélites e o planeta.

Todavia, o mais surpreendente é que Fobos muda sua velocidade média de tempos em tempos. No início do século XX, o astrônomo russo Cherman Struve passou meses calculando as órbitas das luas de Marte. Nos anos seguintes, monitorando o movimento das luas, deparou-se com as diferentes velocidades e excentricidade da trajetória.

Retomando a pesquisa de Struve, Shklovsky concluiu que nenhuma causa natural poderia explicar as origens das duas luas e seus comportamentos excêntricos, especialmente no caso de Fobos. A órbita de Fobos somente se justificaria se aquele corpo fosse uma gigantesca nave espacial.

Shklovsky chama a atenção para os cálculos e análises que revelam a peculiaridade da pouca massa de Fobos, sua baixa densidade média, cerca de duas mil vezes menos que a densidade da água. A explicação é simples: Fobos é oco, uma forma vazia ou, uma nave espacial, que não deixa de ser uma lata oca.

E Shklovsky comenta: Um corpo celeste natural pode ser oco? Nunca! Portanto Fobos deve ter uma origem artificial, ser um satélite artificial de Marte. As particularidades de Deimos, embora menos acentuadas, também apontam para uma origem artificial.

FONTE: VANDER PLOEG, Dirk. Astrophysicist: Giant Spaceships are Orbiting Mars. 
 IN UFO Digest, publicado em 07/04/2011 
[http://www.ufodigest.com/article/scientist-claims-mars-moon-phobos-hollow]

4 comentários:

Anônimo disse...

Interessantíssimo! Dá o que pensar, não?

Pax Deum disse...

Olá, dei uma olhada em seu blog, posto coisas sobre ocultismo, falando bastante da ordem illuminati e das verdades do mundo, se quiser de uma olhada... www.ocultismodesoculto.com caso queira copiar algo por favor coloque a fonte para meu blog...

obrigado

Sofä da Sala Notícias disse...

Olharei o seu blog - Pax Deum, com especisal atenção porém eu NUNCA copio nada. Já tem copista demais na rede. Eu traduzo e escrevo meus próprios textos. Este é um blog de conteúdo100% próprio. Sem cópias. Se eu curtir o seu blog incluí-lo-ei na lista de links do Sofä da Sala Notícias.

Portal do amor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...