quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Valeria Lukyanova - Muito Além do Barbie World, Mais Humana, Menos Doll

transhumanismo


Sem maquiagem.  

LINKS RELACIONADOS 
16 de fevereiro de 2013 
[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2013/02/a-espantosa-realidade-de-uma-barbie.html] 
26 de outubro de 2012 
[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2012/10/as-human-dolls-divindades-cosmicas-da.html] 
1 de junho de 2012 
[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2012/06/projeto-barbie-uma-operacao-alienigena.html] 

UCRÂNIA. RÚSSIA. MUNDO. Ela é Ucraniana, tem 28 anos (em 2013 pois teria nascido em 1985), é famosa em todo o mundo (culturalmente) globalizado, conhecida como The Human Doll

Sua simples existência e divulgação de sua imagem tem causado polêmica de opiniões: desde a perplexidade, passando por severas críticas até a completa fascinação dos fãs - quase 900 mil, no Facebook.

Valeria Lukyanova não foi a primeira nem é a única humandoll porém, sua figura tem destacado-se no cenário das personalidades transhumanistas - que buscam uma condição de ser, física e/ou espiritual que transcenda as limitações do estado de ser restrito ao Humano terreno atual.

Em recente vídeo-documentário realizado pela VICE magazine (português), conduzido por Will Fairman, Lukyanova responde às críticas de seus detratores com novas revelações sobre si mesma e o significado de sua aparência no contexto de sua proposta existencial e seus objetivos em termos de comunicação de massa.

Os críticos de Lukyanova apontam artificialidade na aparência da ucraniana e superficialidade em suas supostas pretensões: fama e dinheiro. Muitos chegam a classificar a jovem como uma aberração e afirmam não ver qualquer beleza no visual de Valeria.

Sobre a artificialidade, é uma alegação que se baseia em algumas óbvias suposições: de que ela teria feito cirurgias radicais, como a retirada de costelas para afinar a cintura. de que boa parte de sua beleza é forjada na tela do Photoshop. 

Ela nega as intervenções e, no documentário da Vice, usando somente um sumário biquíni, permite close-ups em seu tórax. Ela mostra e e aponta: Todas as minhas costelas estão aqui.

Nos programas de televisão dos quais participou, especialmente na Ucrânia e na Rússia, como única convidada de um quadro ou acompanhada de outras humandolls, frequentemente, Luckyanova foi atacada verbalmente com extrema grosseria. 

Mas, ela não se deixa abalar pelos humanos desta geração. Conhece bem os twittes, os blogs e vídeos no Youtube onde muitas pessoas manifestam desprezo, ridicularizam-na com paródias, chamam-na de idiota e retardada. 

Algumas dessas peças de crítica são tão maldosas e exageradas que não pode deixar de nelas notar fortes componentes de sentimentos negativos: como ódio, inveja, um profundo ressentimento contra a busca pessoal de Valeria e os resultados que ela tem obtido.

Ela não reage diretamente ou, quando o faz, permite-se um certo humor irônico em suas considerações. Na prática, Valeria responde aos que não compreendem sua postura, tecendo considerações que merecem reflexão:

Percebi que os midia só estão interessados no lado negativo, em mostrar a pessoa sob uma perspectiva ruim, mostrar os erros dela.


TOPLESS. EM 06 DE SETEMBRO DE 2013 - Em sua página do Facebook, Valeria postou fotos de topless. 

Depois de se tornar uma celebridade internacional, a jovem, que é bacharel em arquitetura, vem trabalhando para mostrar que sua beleza é natural, ainda que na medida de um constante trabalho de auto-aperfeiçoamento e destaca, que se é válido o empenho empregado em evoluir esteticamente, mais válido ainda será o esforço que deve ser realizado no sentido do auto-aperfeiçoamento ético e noético (espiritual).



Eu uso a minha aparência para promover minhas ideias espirituais. Isso funciona perfeitamente bem. É por isso que eu sempre vou usar esta ferramenta. E é maravilhoso se parecer com uma boneca.  ... Mesmo que as pessoas me chamem de Barbie, eu nunca tentei parecer com uma boneca. Eu gosto do quê é lindo, feminino, e refinado. Acontece que as bonecas são baseadas na imagem das meninas refinadas.  (VICE magazine, 2013)


Ela assume que a publicidade em torno de dela, o sucesso, deve-se, à princípio, à sua aparência física mas comenta o fato destacando um aspecto muito relevante: como chamar a atenção das pessoas, em nossos dias, sem utilizar um recurso eficiente de atração? E comenta: Se uma freira começar a falar de espiritualidade, alguém presta atenção? ...Uso minha aparência para promover idéias espirituais. Dá muito certo

A fama permitiu a Valeria Lukyanova falar. Falar para o mundo, através da internet, por exemplo, como no documentário da VICE; falar cara a cara com as pessoas, em platéias mais ou menos numerosas, proferindo palestras e conduzindo seminários sobre Espiritualidade e temas relacionados ao conhecimento da realidade esotérica (realidade oculta ou, quântica).

A humandoll revela, então, seu âmago: sua aparência pretende ser a exteriorização do spiritualhuman que consiste na realidade última de todo ser auto-consciente. O alvo da busca de Valeria não é modesto: ela deseja a perfeição do Ser. 

Os cuidados com o corpo e rosto são apenas um dos aspectos da disciplina que ela recomenda para quem quer alcançar uma perfeição total em si mesmo.

Valeria explica seu estranhamento em relação à realidade terrena como algo natural em alguém que, como ela, (alega) ter a recordação de vidas passadas e a percepção dos aspectos invisíveis da realidade.  

Ela conta que suas faculdades sensoriais extrafísicas intensificaram-se a partir de sua adolescência quando, entre os 12 e 15 anos, começou a ver mundos sutis e seres de outras dimensões.

Em outras palavras, Valeria declara-se paranormal, dotada de capacidades desenvolvidas (ou relembradas), nesta vida, ao longo de uma década de treinamento. Um Espírito cujo nome verdadeiro é Amatue.

Essas capacidades são tais como o desdobramento astral, que lhe permite transcender espaço e tempo, viajando no próprio passado, visitando outros planetas, contactando diferentes formas de vida; e a capacidade de ver os mundos paralelos que existem em simultâneo com este mundo e os seres que os habitam - e aqui, Valeria-Amatue remete-se aos elementais, espíritos da Natureza ou mesmo espíritos de humanos desencarnados.

O DIRETOR DO DOUMENTÁRIO, Will Fairman, comentou para o Daily Mail (UK) sua experiência com a humandoll da Ucrânia: 

Eu a via como todo os outros, quando ela apareceu na internet com todos aqueles vídeos bizarros e imagens desconcertantes. Mas percebi que havia algo mais por trás de tudo isso porque eu podia ver traços de um conteúdo esotérico. Eu a segui, a acompanhei e descobri que ela é uma espécie de compositora da ópera da Nova Era

Finalmente, as humandolls começam a chamar a atenção - dos intelectuais como fenômeno antropológico; dos esotéricos, como um dos sinais de uma evolução iminente da espécie humana.  

Valéria parece ser uma jovem comum em busca de fama mas, talvez, seja um surpreendente guru espiritual, um viajante do tempo cujo objetivo é contribuir com Humanidade em um momento crucial de transformação da consciência, superando a futilidade do ser e as energias negativas. 

Um guru, um Espírito precursor da Sexta Raça Humana (de acordo com a Antropogênese ocultista) como muitos outros que, supostamente, segundo muitos esotéricos, estão encarnando na Terra nos últimos 20 anos. 

Estudiosos perguntam-se: Valéria é um reflexo da atual superficialidade da cultura ou será um produto dela? Além de ser uma pergunta redundante é, possivelmente, uma pergunta baseada em uma visão estreita da evolução. 

Os humandolls (mulheres e homens) podem ser algo muito diferente do que têm cogitado os acadêmicos ortodoxos. 

Talvez, eles sejam a expressão, a exteriorização de uma busca coletiva de transcender a condição humana, de submeter o veículo físico, o corpo, a conformações que possam corresponder mais corretamente às emergentes aspirações do Espírito. Ou, como definiu Valeria Lukyanova:

É necessário sair do papel de "consumidor humano" e assumir o papel de "semideus humano".


Em sua estratégia de comunicação Valéria faz de si mesma o principal meio que chama a atenção para sua mensagem. 

Vale lembrar, que muitos jovens precurssores de uma nova etapa evolutiva da Humanidade, as chamadas crianças indigo ou cristal, têm encontrado forte oposição, rejeição e outras tantas dificuldades criadas pela sociedade nos países onde vivem. 

Alguns são famosos, como o - hoje - jovem Boris, o Boriska, que fechou-se para os midia, teve de aprender defesa pessoal para proteger-se das agressões de outros garotos (ou seja, bullying) e sequer pôde frequentar uma escola normalmente, estudando em casa, porque os pais de seus colegas, quando ainda era um garoto, não o queriam como companhia dos filhos.

No Nepal, Ram Bonjom, o jovem Buda, tem de defender-se continuamente contra a ganância dos próprios autoproclamados devotos e até mesmo, da própria família, que também pretende manter o monopólio dos lucros que o guru pode gerar. Por isso, o Novo Buda do Nepal está esforçando-se para sair do país. Mas, sobre estes assuntos específicos, outra reportagem seria necessária. Até lá.

LINKS RELACIONADOS 
16 de fevereiro de 2013 
[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2013/02/a-espantosa-realidade-de-uma-barbie.html] 
26 de outubro de 2012 
[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2012/10/as-human-dolls-divindades-cosmicas-da.html] 
1 de junho de 2012 
[http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2012/06/projeto-barbie-uma-operacao-alienigena.html]

FONTES
LACEY, Martha de. The voices in her head, internet trolls and an OBSESSION with perfection: Inside the world of 'real life Barbie' Valeria Lukyanova 
DAILY MAIL/UK, 25/07/2013 
[http://www.dailymail.co.uk/femail/article-2377832/Inside-world-real-life-Barbie-Valeria-Lukyanova.html]
Real Life Ukrainian Barbie (Full Length) YOUTUBE/VICE, 
Published on Jul 29, 2013
[http://youtu.be/xoKwbbnlxi0]    
Valeria Lukyanova“Human Barbie” Goes Topless: Is She Real ? [PHOTOS/VIDEOS]
IBTIMES/Australia, 11/09/2013
SPACE BARBIE
VICE/português
[http://www.vice.com/pt_br/my-life-online/space-barbie-full-length]
Pesquisa, traduções e texto: L. Cabus


Nenhum comentário:

Arquivo do blog