domingo, 5 de junho de 2011

Mares Assombrados




Entre os mistérios que assombram este mundo, muitos habitam a face sombria das profundezas do Mar. Existem quadrantes malditos nos Oceanos assim como existem lugares assombrados na terras de ilhas e continentes. O Triângulo das Bermudas é um desses sitios marinhos que acumula relatos assustadores de eventos inexplicáveis.

O triângulo, tem suas pontas geograficamente localizadas em: Flórida (tendo miami como ponto de referência), Bermudas (ilhas) e Porto Rico (ilha). A lenda contemporânea do Triângulo começou em em dezembro de 1945 quando aviões militares de transporte tripulados, no total, por 14 homens, desapareceu inexplicavelmente em algum ponto da costa sul da Flórida.

A última comunicação por rádio, feita pelo líder da equipe. Ele disse, apenas: Estamos entrando em águas brancas, nada parece certo. Todos sumiram, Tudo sumiu. Nada. Nem fragmento, fuselagem, objeto, pertencente às aeronaves ou à tripulação jamais foi encontrado.

Depois disso, outros casos começaram a acontecer ou, passaram a chamar atenção. Um navio petroleiro de grande porte, um iate de recreio, um pequeno avião de passageiros. Desapareceram. Especulações atribuíam os fenômenos à forças paranormais [e ainda hoje vigoram essas teorias porque os episódios continuam inexplicáveis].




Triângulo das Bermudas


RELATO DE UM EXPLORADOR

1970. Ray Brown, mergulhador, caçador de tesouros marinhos, conferencista, em relato transcrito por Charles Berlitz em Atlântida, o Oitavo Continente (1990) conta sua experiência pessoal, em pleno mergulho na área do Triângulo das Bermudas ao encontrar uma pirâmide submersa:





Reprudução da esfera de Brown (acima)


...[o fundo do mar pode mudar em conseqüência de violenta tempestade. Dentro do Triângulo das Bermudas, uma tempestade assim pode... revelar ruínas [e voltar a ocultá-las pouco depois]. Quando voltamos ao local onde tínhamos estado procurando galeões afundados, fomos surpreendidos por violenta borrasca. Ondas de 2m a2,5 m nos assolaram... [perdemos equipamento].

Na manhã seguinte, vimos que as bússolas estavam girando e os magnômetros não estavam fornecendo informações... Estava muito escuro mas pudemos ver perfis de edificações submersas... Éramos cinco mergulhadores e atiramo-nos na água...

Eu estava perto do fundo, a 40 metros... Voltei-me em direção ao sol e... divisei a forma de uma pirâmide brilhante como um espelho. A cerca de 10 ou 12 metros do topo, havia uma abertura. ...acabei entrando. ...Era como um poço que se abria para um aposento interno. Vi algo brilhando. Era um cristal sustentado por duas mãos metálicas. Eu usava luvas. Tentei agarrá-lo e o consegui. Mas assim que o agarrei percebi que estava na hora de sair e não mais voltar.


Charles Berlitz (1990), que entrevistou Rey Brown pessoalmente, acrescenta: O Dr. Brown ainda tem o cristal... dentro do cristal redondo pode ver-se uma série de formas piramidais.Quando alguém segurao cristal sente algo como uma pulsação...






O MAR DOS SARGARÇOS

Localizado no meio do Atlântico, não muito longe do Triângulo das Bermudas, fica o Mar dos Sargaços. Sargaços são os emaranhados de algas marinhas que deixam turvas e densas aquelas águas. Ali, na chamda Época da Grandes Navegações, poderosas embarcações à vela mergulharam em nevoeiros onde, ninguém sabe como, toda a tripulação tragada tragada por algum agente desconhecido. Sem sangue, sem ossos, sem danoS. Somente silêncio, abandono. E da névoa espessa emerge então o navio. Fantasma, à deriva, sem sinal de marujos.

Foi o que aconteceu com o Rosalie, em 1840, que, navegando naquelas coordenadas, desapareceu um bom tempo, não chegou ao destino e, ao ser encontrado, estava à deriva, o conjunto de velas intacto e ninguém à bordo.

O misterioso Mar dos Sargaços é um enigma em sua própria forma hidrológica de ser. Ele é algo como uma ilha de água no meio do Atlântico. Água cercada de ... água. Correntes marinhas que o circundam. Por isso, uma das coisas atípicas do Mar dos Sargaços é a a temperatura: tépida, mais quente do que à sua volta. Também é uma região de extrema calmaria que, por si só, é uma prisão para veleiros. Como se os ventos evitassem passar ali.





JAPÃO: O MAR DO DIABO

O Mar do Diabo ou O Triângulo do Dragão é outro pedaço maldito de oceano. Localizado no Oceano Pacífico, ao redor da ilha japonesa de Miyake, 100 km ao sul de Tóquio, ali, entre 1952 e 1954 o Japão perdeu cinco navios militares bem como cerca de uma centena de cientistas que pesquisavam na região. Lendas antigas atribuem os desaparecimentos ao ataque de dragões que habitam o local.

Em 1972, o Triângulo do Dragão estava relacionado entre "Cemitérios do Diabo em Todo o Mundo",um levantamento-reportagem realizado pelo naturalista e paranormal Ivan Sanderson. Sanderson denomina estes esses "cemitérios" ou sumidouros de Vile Vortices. Ao que parece todos ocupam as mesmas Latitudes entre sul e norte da linha do Equador. Também são chamadoshotspots – "boca quente" – por suas peculiares anomalias físicas e fenômenos insólitos, muitos atribuídos a aberrações eletromagnéticas.

Ivan Sanderson acredita que neste sitios marinhos malditos o que acontece é que correntes frias e quentes em convergência, interação ou choque poderiam criar as perturbações eletromagnéticas capazes de afetar os instrumentos de navegação de embarcações e/ou aeronaves, provocando perda de controle, instabilidade, colapso e desaparecimentos desses veículos, que seriam, então, simplesmente, tragados para as profundezas insondáveis de uma fossa marinha.





O TRIÂNGULO DE MICHIGAN

Nem só nos mares existem nichos de águas misteriosas. Em todo o mundo há relatos de lagoas encantadas, por exemplo. Nos Estados Unidos, o lago Michigan é assombrado. Ali são numerosos os avistamentos de objetos tão estranhos quanto aviões fantasma.

No livro Strange adventures of the Great Lakes,o historiador naval Dwight Bower, a lenda do Triângulo de Michigan surgiu em 1937 (contemporânea, portanto). Tudo começou quando o capitão Geoge Donner, inexplicavelmente, DESAPARECEU DE SUA CABINE em cargueiro durante o trajeto rotineiro de uma entrega de carvão, (um caso de mistério, abdução talvez em uma embarcação).

Contam os relatos o capitão Bower, depois de ter dado rigorosas instruções para ser despertado – e ficaria em sua cabine, em sua cama – quando o navio estivesse para aportar. Mas, ao chegar a hora determinada, ele simplesmente não estava lá. Não estava na cabine e nem em lugar algum do cargueiro. Além disso, a portada cabine estava trancada por dentro. Meditemos...

Treze anos mais tarde, 1950 – O Vôo 2501 da Northwest Airlines, com 55 passageiros à bordo e três tripulantes partiu de Nova Iorque e sumiu, "evaporou" (nos instrumentos dos controladores de vôo) precisamente quando sobrevoava o Triângulo de Michigan. Destroços jamais foram encontrados apesar de intensas buscas. O incidente não foi explicado até os dias atuais (maio de 2011).


FONTE: WEBSTER, George. Mysterious waters: from the Bermuda Triangle to the Devil's Sea.
IN CNN, publicado em 31/05/2011
[http://edition.cnn.com/2011/TRAVEL/05/31/sea.legends.bermuda.triangle/]


Nenhum comentário:

Arquivo do blog