quarta-feira, 14 de julho de 2010

A Cultura Sexual da Safadeza Explícita



CHINA – Na China dos seríssimos herdeiros de MaoTse-Tung, na China das elites e dos emergentes pós-modernos do socialismo-capitalizado, nessa mesma China que persegue monges budistas e ameaça a herança cultural-religiosa-filosófica do Tibete, já há alguns anos, um evento chama a atenção e atrai publico massivo. Ousado, pervertido, pornô, o Sexual Culture Festival vai completar oito edições ou mostras, se for realizado este ano [2010]. A cada ano, o Festival é sediado em uma grande cidade do país. Em 2009, aconteceu em Guangzhou e foi o 7º Festival da Cultura Sexual.

Os organizadores justificam o Sexual Culture Festival apoiados na palavra cultura e garantem que a mostra é de natureza educacional. Porém, a realidade óbvia é que a proposta das exibições passa longe da esfera da cultura acadêmica e mergulha descaradamente na lascívia popular. A Cultura Sexual do Festival carece de atrações antropológicas, históricas ou artisticas.

A festa é um show de apelos sexuais imediatos e perversões de todo tipo. Um desfile de langeries é, na verdade, uma exibição de stripers. Uma instalação-intervenção consiste no fundo de uma vã aberto onde um telão mostra um filme pornô chamado Homem em uma van trás o pornô para as massas... [!?]

Em outro ambiente, paredes repletas de incontáveis fotos de mulheres nuas: artísticas, comerciais, amadoras, bagulhos, jovens e velhas, vivas, mortas. O conjunto produz o estranho efeito de ser percebido entre o grotesco e deprimente. Uma boneca inflável horrenda diverte os moleques.

Existe, ainda, lugar para o bizarro, na disposição de várias peças que são fetos malformados, monstruosidades conservadas em vidros e formol. Essa sessão pretende ser um alerta e um estímulo para a prática do sexo seguro. Sem dúvida, uma didática de choque.

Boxes com produtos destinados a incrementar o sexo, a excitar as pessoas, vendem mercadorias comuns, chulas: desde afrodisíacos exóticos e naturais da tradicional medicina chinesa, como chifre de cervo, ginseng etc..

Também – como é de certa forma, tradição na China – a atividade da pirataria marcou presença no Sexual Festival, vendendo por baixo do balcão desde mercadorias raras como o famoso pênis de tigre, atividade proibida no país, até o viagra genérico, igualmente proibido no país.

Esta editoria limita-se a colocar a fotografia acima. No site de origem dessa notícia, um blog, existem outras fotos que, por seu conteúdo fortemente pornográfico e bizarro, evitamos colocar aqui. O leitor interessado pode ver no link abaixo, SE QUISER... e depois não reclame se desejar profundamente arrancar os próprios olhos. Você sabe, SABEDORIA MILENAR: Chinês come – mesmo! qualquer coisa que se mexe. Meditemos...



FONTE: HOFFORD, Alex. A Sleazy 'Sexual Culture Festival' in Guangzhou, China.
IN Alex Hofford – publicado em 05/11/2009
[http://www.alexhoffordphotography.com/blog?page=6]







Nenhum comentário:

Arquivo do blog