segunda-feira, 29 de junho de 2009

A Última Performance de Jacko



A morte de Michael Jackson pode se tornar o mais glorioso adeus de toda a história do show business. Por muito pouco rei do Pop não reviveu para morrer no O2 Arena, em Londres, em frente a milhares de pessoas e de câmeras de televisão. Faltavam 18 dias para o retorno triunfante, marcado para 13 de julho.

Todos esperavam que o ícone da música se erguesse de sua cadeira de rodas, deixasse seus infortúnios para trás e brindasse à vida, junto aos fãns, com aquele que seria o melhor show da Terra. Os ingressos foram vendidos rapidamente.

Cinquenta apresentações foram agendadas, ao invés das 10, inicialmente planejadas. O astro, abatido por reveses da sorte que infernizaram suas vida nos últimos 15 a 20 anos! não suportou a pressão da expectativa em torno de sua volta aos palcos. Pressão do público, pressão da produção, dos empresários, dos meios de comunicação. A exigência do sucesso implícita; e ameaçadora.

Michael Jackson morreu. De nervoso, de medo, de horror. Jackson já estava morendo antes mesmo de fechar o contrato dos shows. Doença no pulmão, cancer de pele, vitiligo, infecção por estafilococos, dores crônicas. Nessas condições, programar um retorno espetacular à cena pop foi como decretar a própria sentença de morte. As companhias de seguro sabiam de tudo isso e discutiram o assunto, a saúde de Jacko, para firmar seus acordos. Por que, ó raios! dadas as condições de saúde geral do artista essa série de shows foi organizada?

A reportagem do escandaloso jornal russo Pravda especula na manchete: Michael Jackson tinha Planejado Sua Morte? Talvez ele apenas tenha morrido antes do que planejava. Pode ser uma das primeiras entre as inúmeras lendas que ainda serão contadas sobre ele. Sim! Ele pode ter concordado com esses shows como quem planeja um suicídio [ou concorda em se suicidar] em público, em rede mundial.

Ele gostava de shows grandiosos, fantásticos, inequecíveis! Sua morte quase chegou uma ser performance artística histórica. Um deslumbrante morrer no palco. Este já foi um desejo e um destino para muitos artistas: morrer sob os holofotes. Pode não ter saído como planejado mas o mundo parou com a notícia de sua morte. E o show de Jacko continua, com o choro das multidões e a previsível corrida às lojas em busca de seus CDs e DVDs.

Sobre ele escreverão livros, farão filmes, lançarão músicas inéditas que o artista produziu em seus anos de ostracismo e, finalmente, aquele que que já era mito, mais consolidado ficará em sua mitologia. E o mundo vai falar de Michael Jackson, quem sabe, por centenas de anos.

Fonte: Michael Jackson was planning his death
In Pravda English ─ publicado em 28/06/2009


Um comentário:

Vitor Batista disse...

melhor que o artigo da rolling stone!

Arquivo do blog