quarta-feira, 24 de junho de 2009

A Catedral dos Crânios de Otranto




Itália ─ Em 28 de julho de 1480, uma esquadra de 70 a 200 navios Otomanos [muçulmanos] chegaram a Otranto, cidade litorânea, costa da penísula de Salento de Otranto, sudeste do país. Naquele tempo, Otranto era parte do reino de Nápoles. Aquilo ainda era o começo das investidas otomanas [1453-1683] no território europeu. Era o início da Idade Moderna, marcada pela queda de Constatinopla [1453] sob as forças de Mohammed II.

Naquela invasão a Otranto, a guarnição militar e oscidadãos refugiaram-se no Castelo de Otranto mas ali não havia recursos de defesa. Foram capturados. Os soldados e seus comandantes foram mortos. Em 12 de agosto daquele ano [1480] os cidadãos, sobreviventes, foram levados pelos muçulmanos ao Campo de Minerva, hoje chamado Campo do Mártires. Ali foram decapitados, um a um, oitocentas pessoas que recusaram renunciar à fé cristã-católica. Mais tarde, os restos mortais desses mártires foram levados para a catedral da cidade e preservados em aquários, paredes de vidro que circundam o altar. É a lembrança macabra dos 800 mártires de Otranto.


Fonte: The Skull Cathedral of Otranto: Where the Bones of 800 Martyrs Adorn the Walls
In Enviromental Graffiti ─ publicado em 23/06/2009



Nenhum comentário:

Arquivo do blog