quinta-feira, 9 de abril de 2009

Mistério: A Rainha-Leoa de Judá




Leoa de Judá: Ilustração da tábua de argila encontrada pela Tel Aviv University em Tel Beit Shemes, 2008. Fonte: AFTAU ─ Diz a lenda que na antiga terra de Israel os governantes eram todos homens mas a escavação em Tel Beth-Shemesh revela a figura de uma misteriosa rainha.



Os arqueólogos Shloma Bunimovitz, da Tel Aviv University e Zivi Lederman, do Department of Archaeology and Ancient Near Eastern Civilizations [Departamanto de Arqueologia e Civilizações Antigas do Oriente Próximo] descobriram uma placa de cerâmica incomum onde figura a representação deuma personamgem feminina, caracterizada com uma rainha divinizada sugerindo a possibilidade de que uma rainha possa ter, um dia, governado aquela cidade, na antiga região de Canaan.

O sexo da figura pode ser reconhecido pela simbologia clássica da arte egípcia e cananita: o estilo do cabelo, feminino, os braços arqueados tendo nas mãos flores delótus, atributos relacionados às mulheres. Os historiadores sugerem que a placa é um documento representativo da "Senhora das Leoas", até agora mítica governante cananita mas que tornou-se conhecida por enviar cartas aflitas ao faraó do Egito relatando o sofrimento e a destruição em seu reino.

"A descoberta desta peça pode ser a confirmação de nossa hipótese de que existiu uma figura feminina [na história desse povo]. Obviamente, algo muito diferente, incomum estava acontecendo nesta cidade. Sabe-se que a "Senhora das Leoas" mantinha correspondência entre Canaan e Egito. O cenário de destruição onde foi encontrada a placa é uma chave para este enigma" ─ comentou Dr. Lederman.

Nos anos de 1350 a.C. havia muita turbulência política na região. Era corriqueiro os reis cananeus escreveram em tábuas de argila as cartas que eram enviadas ao faraó do Egito pedindo ajuda militar. Entre estas cartas de reis foram achados dois raros exemplares, entre as 382 tabuletas "del Amarna", descobertas a poucos anos por fazendeiros egípcios.

São duas cartas da "Senhora das Leoas", de Canaan. Ela conta que bandos de rebeldes, pessoas rudes, que invadiram a região e que sua cidade podia não resistir ao vandalismo. Como as tabuletas foram encontradas no Egito e não em Israel oshistoriadores querem confirmar a origem das peças.

A grande questão é: "Qual o nome da cidade que ela governava? Lederman e Bunimovitz acreditam que era uma cidade de, mais ou menos, mil 1.500 [mil e quinhentos] habitantes. O Profº Nadav Naadman, também da Tel Aviv University, sugere que pode ser a cidade de Beth Shemesh.

Mas não há provas dessa conjetura; apenas o fato de que "a cidade [Beth Shemesh] foi violentamente destruída, coisa rara de ser ver em arqueologia" informa Bunimovitz que, ainda, aponta muitos achados exóticos no sítio da cidade destruída, incluindo um selo real egípcio, pontas de flecha feitas de bronze e uma coleção de vasos. A estrutura e os indícos são de cidade-estado de certa importância geográfica, política e econômica no Leste do Mediterrâneo.

Os arqueólogos consideram que tais descobertas suscitam uma nova interpretação da história [notadamente hegraica] pré-bíblica. Pode-se vislumbrar uma sociedade pagã que tinha um sistema religioso muito elaborado. As ruínas do sítio arqueológico poderão proporcionar informações significativas. Uma vez que o cidade teve um fim repentino, destruída por vandalizações, seu povo evadiu-se deixando para trás os objetos que falam do cotidiano daquele tempo e lugar. A "Senhora das Leoas" não foi a única rainha de Canaan; outras evidência mostram que houve outras Leoas e os cientistas pretendem encontar os sinais destas notáveis mulheres que o mundo esqueceu.

FONTE: Was a 'mistress of the lionesses' a king in ancient Canaan?
IN Physorg Was a 'mistress of the lionesses' a king ─ publicado em 06/04/2009


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...