domingo, 15 de março de 2009

Maconha na Califórnia: "Salvação da Pátria"




Na Califórnia, o parlamentar Tom Ammiano propôs a legalização da maconha para que o estado possa aplicar tributação sobre as vendas da erva, uma providência que pode gerar bilhões de dólares em arrecadação. Essa injeção de recursos no caixa poderia ser a "salvação da lavoura" para as finanças debilitadas da Califórnia. Mesmo na ilegalidade, as safras de maconha geram, atualmente, 14 bilhões de dólares que passam ao largo do sitema de taxação de mercadorias; ou seja, nem um tostão desse comércio entra nos cofres do governo.

O faturamento com o cultivo da ganja supera em muito a rentabilidade o segundo produto mais lucrativo da economia rural californiana: o leite, que rende 7,3 bilhões por ano. A tributação sobre a maconha pode gerar até 1,3 bilhões anuais isso sem contar o benefício da geração/oficialização de empregos nos campos.

Tom Ammiano justifica sua proposta: "A Califórnia está passando por uma situação econômica muito ruim. O cenário é desanimador: falências, desemprego, pessoas perdendo bens hipotecados, escolas fechando ou tentando funcionar apenas 4 dias por semana... Eu acredito que com a descriminização, regulamentão e taxação da marijuana nós poderemos acertar essa conta. É uma questão de vontade política para fazer acontecer".

Em 1996, a Califórnia foi um dos primeiros estados norte-americanos a legalizar o uso médico, terapêutico da maconha. Atualmente, o comércio, nessas condições, fatura 200 milhões de dólares sujeitos à tributação. Se a lei da liberação ─ Marijuana Control, Regulation and Education Act ─ for aprovada o estado poderá controlar o produto de forma similiar ao que já acontece com o álcool, proibido para cidadãos menores de 21 anos. Isso abrirá um precedente-modelo para outros estados. Comentou Ammiano: "O país segue a Califórnia".

Em defesa da lei, juiz aposentado da Orange County Superior Court, James Gray, um antigo defensor da descriminização da maconha, argumenta que o fim da repressão, das operações de apreensão e captura de mercadoria, usuários e traficantes, prisões e processos resultaria em uma economia de 1 bilhão de dólares por ano. Mr. Gray considera, ainda: "Infelizmente, todas as sociedades, em toda a história humana, usaram substâncias entorpecentes, do tipo que altera a mente e a percepção. ...[As drogas] estão aqui para ficar".

A proposta tem seus oponentes, como John Lovell, lobista da California Peace Officers' Association: "A última coisa que precisamos é uma outra substância que altera a mente". [Que outra? Afinal a ilegalizade não torna o uso disseminado da maconha menos real!] ─ "Já temos problema suficiente com o álcool e o abuso de produtos farmacêuticos".

Joel W. Hay, professor de economia farmacêutica, que pesquisa o custo social do abuso de drogas, também discorda da legalização: "Marijuana é uma droga que oblitera o julgamento [capacidade de discernimento] das pessoas afeta as a habilidade de concentração, reação e, certamente, acaba atingindo terceiros [Oxente! Uma porrada de coisas oblitera os juízos das pessoas inclusive emoções como medo, ódio, ciúme, inveja. Meditemos...].

A polêmica está lançada, e lançada em plena seríssima crise econômica norte-americana deixando a impressão que existe um certo clima de desespero no ar. Este redator nada tem contra maconha e acha que deviam legalizar logo a "merenda", a "parada", a "doleta" e o "fininho" mas, nestas circunstências parece uma medida um tanto despudorada onde se pode ler o subtexto: Para encher os cofres do governo, para salvar a Pátria, para tirar Tio Sam da lama! ─ observemos a filosofia de Tim Maia ─ "Vale tudo!". Vender a mãe, botar a mulher na rifa e, porque não, entender que maconha não é tão ruim assim e permitir a instalação das bocas de fumo com portas abertas para a rua e serviço delivery. Meditemos, again...



FONTE: Can Marijuana Help Rescue California's Economy? por STATEMAN, Alison
In TIME ─ publicado em 13/03/2009



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...