domingo, 6 de novembro de 2011

Teotrônico: 'Assovia e Chupa Cana'




No começo do mês de outubro (2011), durante a Mondo Music Piano Fayre, um robô instrumentista chamou a atenção do público. Criado pelo italiano Matteo Suzzi, Teotrônico (Teotronic), que demorou quatro anos para ficar pronto e custou cerca 3 mil e 400 euros, tem 19 dedos em suas duas mãos. Ele toca piano muito mais rápido que qualquer ser humano e também pode cantar e tocar instrumentos de percussão ao mesmo tempo.

Programado para - (além de humilhar Bach, Mozart e Stravinsky) - processar muitas e detalhadas informações a inteligência artifical do Teotrônico é desenvolvida de modo que o robô reconhece as mais sutis alterações ou mudança de tons. Ele também interage com a platéia. Através de duas câmeras de vídeo instaladas atrás de cada um de seus olhos [ou seja o 'Pinóquio' tem olhos nas costas; é macabro], identifica/percebe a presença de pessoas, a receptividade da 'peça' tocada, fala com o público, muda o repertório. Versátil, toca numerosos gêneros musicais, incluindo jazz, blues e rock.




Mas... nada é perfeito além da inexorável imperfeição. O Teotrônico tem um defeito, ao menos. Ele é feio. Do pescoço para cima, sua face branca e suas órbitas saltadas contornadas de preto, é algo entre o patético e grotesco, totalmente desprovido de qualquer elegância. Lembra a velha história chinesa, recontada por H. C. Andersen, O Rouxinol do Imperador. Meditemos...


FONTE: CHARLES, Aaron Spencer. Teotronico is a standout robotic musician with a good ear for classical
IN Metro/UK, publicado em 17/10/2011
[http://www.metro.co.uk/weird/878835-teotronico-is-a-standout-robotic-musician-with-a-good-ear-for-classica]


Nenhum comentário:

Arquivo do blog