domingo, 4 de janeiro de 2015

Alienígenas - A Genética dos Cabeça-de-Cone de Paracas



PERU. MISTERIOSA ANTROPOLOGIA. Paracas é uma península e um deserto localizado na Província de Pisco, Região Inca da costa do Peru. Ali, entre 1924 e 1928, o arqueólogo peruano Julio César Tello (1880-1947) descobriu curiosas ruínas e necrópoles abrigando numerosos e elaborados túmulos que continham os restos mortais de indivíduos apresentando os maiores crânios alongados entre os que foram  encontrados no mundo.

Estas 'peças ficaram conhecidas como os 'Crânios de Paracas. No total, Tello reuniu mais de 300 desses crânios alongados que, acredita-se, estão datados em 3 mil anos.

Embora todos os crânios alongados espalhados pelo mundo sejam impressionantes, há muito os cientistas constataram que a maior parte deles resulta de uma deformação craniana intencional através da aplicação de força ou de um molde que induz à alteração da forma.

Esse molde é feito com pedaços de madeira e faixas de panos que comprimem a cabeça do indivíduo desde a mais tenra infância. Porém, embora o processo modifique a forma do crânio, não altera o volume, peso e outras caracteríscas típicas do crânio normal de um homo sapiens.

Porém, os Crânios de Paracas são diferentes. O volume craniano - que corresponde à cavidade interna do crânio  é de  - até - 25% mais ampla do que a cavidade de um ser humano comum.

Os crânios de Paracas também são 60% mais pesados e possuem apenas uma placa parietal ao invés de duas. Esses fatores indicam que aqueles crânios não foram submetidos a nenhum processo de deformação e a causa de seu alongamento tem sido um mistério há quase um século.


GENÉTICA

O proprietário e diretor do Museu de História de Paracas - Juan Navarro - que reúne uma coleção de 35 daqueles crânios, muito recentemente - entre 2012 e 2013 - permitiu que cientistas colhessem amostras, para exames, de tecidos de 5 dos crânios de Paracas. As amostras incluíam cabelos, com as raízes, um dente, ossos de crânios e pele. O procedimento foi registrado em fotos e vídeo.

As amostras foram enviadas para o geneticista Brien Foerster, autor de mais de 10 livros e uma autoridade em crânios alongados e a relação desta curiosa configuração com a ocupação dos postos de liderança entre os povos da América do Sul. Entre as obras destaca-se The Enigma of Cranial Deformation: Elongated Skulls of the Ancients - escrito em co-autoria com David Hatcher Childress.


NÃO ERAM HUMANOS


Interview with Brien Foerster - Unravelling the Genetics of Elongated Skulls
YOUTUBE. Ancient Origins, Published on Feb 7, 2014
[https://www.youtube.com/watch?v=4Qsj5QyB1bk]


No começo do ano de 2014, o geneticista apresentou o resultado de suas análises. Foerster escreveu:

Havia mtDNA (DNA mitocondrial) com mutações desconhecidas em qualquer ser humano, primata ou qualquer outro animal conhecido até agora. Alguns fragmentos que consegui sequenciar a partir das amostras indicam que estas mutações caracterizam uma criatura semelhante à humana porém, muito distante do Homo sapiens, dos Neandertais ou dos Denisovans.


As implicações da descoberta são desconcertantes. Os Crânios Alongados de Paracas não se encaixam a ordem evolutiva conhecida.

Foerster assegura que os indivíduos de Paracas são ...biologicamente diferentes... tanto que ...não seriam capazes de se reproduzir em relaçções com indivíduos da espécie Homo sapiens.


FONTE
HOLLOWAY, April. Initial DNA analysis of Paracas elongated skull released – with incredible results
ANCIENT ORIGINS, 05/02/2014
[http://www.ancient-origins.net/news-evolution-human-origins/initial-dna-analysis-paracas-elongated-skull-released-incredible]

Nenhum comentário:

Arquivo do blog