sábado, 19 de novembro de 2011

As Múmias Alienígenas do Peru



A múmia, da qual vem sendo dito possuir características não-humanas tem 50 cm de altura, cabeça triangular, grandes cavidades oculares e molares incomuns aos seres humanos. A segunda múmia, disposta àesquerda da primeira é menor, incompleta e assemelha-se a um feto.




PERU – Duas múmias, uma delas com características polêmicas, ditas não-humanas, foram achadas no distrito de Andahuaylillas, província de Quispicanchi, região de Cuzco [ou Cusco], Peru. A descoberta, anunciada pelo diretor do Museo Ritos Andinos, Renato Dávila Riquelme, aconteceu, de fato, há dois anos em uma 'Apu', ou seja uma montanha consagrada a uma divindade, no caso, Viracocha - em um local situado a mais de 3 mil e 250 m acima do nível do mar onde são relatados, com freqüência, avistamentos de OVNIs.


Mr. Riquelme fornece minúcias:

Os ossos das costelas e extremidades inferiores são muito finos, delicados. Possui uma abertura no alto da fronte e os molares são de um adulto.

Há uma semana [ou seja, ainda em novembro de 2011], dois cientistas russos e um médico espanhol analisaram a múmia e observaram que 'não se trata de um ser humano'. Uma prova definitiva ou, ao menos, significativa [vai que é um mutante humano mesmo...], seria uma análise do DNA dos restos mumificados




A segunda múmia é ainda menor. com apenas 30 cm de comprimento e características semelhantes à primeira, todavia, esta não tem rosto e seu corpo está coberto por uma fina membrana semelhante à placenta.

A notícia ganhou o mundo via internet e logo surgiram as evasivas dos antropólogos. O próprio Riquelme destacou que o anúncio foi feito porém 'a fundamentação ainda é superficial' e pede apoio para uma análise de DNA e outras que possam indicar a idade e a espécie das múmias.


FONTES
Descubren momia con características no humanas en la ciudad peruana de Cusco
IN Tribuna Latina, publicado em 17/11/2011
[http://www.tribunalatina.com/es/notices/descubren_momia_con_caracteristicas_no_humanas_en_la_ciudad_peruana_de_cusco_33065.php]
Cusco: estudian osamenta de momia con características "no humanas"
IN La Republica, publicado em 18/11/2011
[http://www.larepublica.pe/18-11-2011/cusco-estudian-osamenta-de-momia-con-caracteristicas-no-humanas]
‘Apreciación sobre momia fue superficial’
IN Peru21, publicado em 17/11/2011
[http://peru21.pe/noticia/1335186/experto-se-corrige-sobre-momiano-humana]


domingo, 6 de novembro de 2011

Teotrônico: 'Assovia e Chupa Cana'




No começo do mês de outubro (2011), durante a Mondo Music Piano Fayre, um robô instrumentista chamou a atenção do público. Criado pelo italiano Matteo Suzzi, Teotrônico (Teotronic), que demorou quatro anos para ficar pronto e custou cerca 3 mil e 400 euros, tem 19 dedos em suas duas mãos. Ele toca piano muito mais rápido que qualquer ser humano e também pode cantar e tocar instrumentos de percussão ao mesmo tempo.

Programado para - (além de humilhar Bach, Mozart e Stravinsky) - processar muitas e detalhadas informações a inteligência artifical do Teotrônico é desenvolvida de modo que o robô reconhece as mais sutis alterações ou mudança de tons. Ele também interage com a platéia. Através de duas câmeras de vídeo instaladas atrás de cada um de seus olhos [ou seja o 'Pinóquio' tem olhos nas costas; é macabro], identifica/percebe a presença de pessoas, a receptividade da 'peça' tocada, fala com o público, muda o repertório. Versátil, toca numerosos gêneros musicais, incluindo jazz, blues e rock.




Mas... nada é perfeito além da inexorável imperfeição. O Teotrônico tem um defeito, ao menos. Ele é feio. Do pescoço para cima, sua face branca e suas órbitas saltadas contornadas de preto, é algo entre o patético e grotesco, totalmente desprovido de qualquer elegância. Lembra a velha história chinesa, recontada por H. C. Andersen, O Rouxinol do Imperador. Meditemos...


FONTE: CHARLES, Aaron Spencer. Teotronico is a standout robotic musician with a good ear for classical
IN Metro/UK, publicado em 17/10/2011
[http://www.metro.co.uk/weird/878835-teotronico-is-a-standout-robotic-musician-with-a-good-ear-for-classica]


sábado, 5 de novembro de 2011

As Fúrias do Sol & As Dores do Mundo

Épocas diferentes. Países diferentes. Um cientista russo e outro norte-americano depararam-se com dados que revelam um dos ciclos mais terríveis da história. Um ciclo que vai além da geofísica, da astrofísica, da bioquímica porque é um tempo que se manifesta em atrozes singularidades comportamentais coletivas e/ou recorrentes, como se a loucura infectasse a Humanidade com o mal do retrocesso ao mais rude barbarismo.

Guernica, de Picasso

Alexander Chizhevsky

Muitos pesquisadores dedicaram-se e dedicam-se à busca incansável, com mais ou menos publicidade, do segredo do mecanismo que regula esse ciclo aparentemente inevitável. Até agora (2011) a descoberta mais notável está relacionada às tempestades solares que geram extraordinárias ejeções da chamada massa coronal (CMEs) - o que, aparentemente está ligado a eventos traumáticos para as multidões: conflitos, guerras, suicídios, homicídios, mutilações, violações, insurreições, rebeliões, revoluções, sangue, lágrimas, dor. Raiva, ódio e medo serão como doenças alimentando a violência. Enfim, morte na Terra.

Para entender essa dinâmica maldita, o método exige estudo, análise, quantificação de eventos. Esta foi a base do trabalho empreendido pelo cientista interdisciplinar Alexander Chizhevsky, em 1915. Sua pesquisa inovadora poderia ter sido um alerta para o Mundo; poucos ouviram.


Alexander Leonidovich Chizhevsky, (1897-1964)

A. Chizhevsky não foi apenas intercisciplinar. Ele mesmo é fundador de ciências avançadas: astrobiologia, historiometria (o estudo estatístico comparativo amplo de fatos da História). Especialmente fascinado por ciclos empregou seu conhecimento em fisiologia, biofísica e astrofísica para estudar os Ciclos do Sol.

Para Chizhevsky os ciclos solares eram/são uma ameaça para os seres vivos da Terra, notavelmente para o Homem e sua tecnologia. 

Estudando os ciclos do Sol [a Vida do Sol] ele foi capaz de correlacionar as influências das atividades solares não somente com o clima e os aspectos gerais da 'vida planetária - na Terra. 

Mais especificamente, Chizhevsky descobriu uma relação entre os 'humores' do Sol e o funcionamento do cérebro/sistema nervoso dos seres vivos terrenos.



Este cientista revelou que o campo geomagnético em torno do planeta é uma das principais forças atuantes na biosfera. 

Ao longo de suas investigações, descobriu, ele mesmo, assustado, que o processo cognitivo (de processamento do conhecimento) e de controle das emoções mais primitivas, em humanos e animais, são profundamente afetados por tempestades solares.

Chizhevsky concluiu que tempestades geomagnéticas causam terríveis alterações nas mentes de populações inteiras, epidemias "inexplicadas", infestações de insetos, convulsões sociais; tudo isso e, também; ao mesmo tempo, perturbações atmosféricas e geológicas de grandes proporções, que, para a Humanidade, são as trágicas catástrofes naturais.



Duas décadas mais tarde, já nos anos de 1930, um professor da Universidade do Kansas (USA), Raymond Wheeler (1885-1974), retomando as pesquisas de Chizhevsky, criou um sistema numérico de proporções aplicável na classificação das guerras de diferentes expressões, considerando até mesmo batalhas individuais considerando fatores tais como duração e gravidade.

Analisando, comparando, confrontando a enorme quantidade dados que reunira, um ciclo de peculiaridades nas manchas solares de 11 anos foi identificado. Os resultados foram assustadores. 

Naqueles regulares períodos de atividade convulsiva ígnea radiante, na Terra, estabelecia-se o desassossego, revoltas, revoluções. Era como se a elevação da energia magnética proveniente do Sol afetasse diretamente o cérebro humano acionando centros nervosos ligados à irritabilidade, intolerância, irracionalidade e violência de maneira geral.



Neste momento histórico, um novo e importante ciclo já está em curso. As CMEs [Ejeções da Massa Coronal, da coroa solar, superfície] estão em erupção. Significa que a loucura planetária começou. 

Registros regulares dos últimos séculos mostraram que, nesses períodos, aumenta, em surtos de fúria: o número de assaltos, assassinatos, guerras e conflitos outros em todas as partes do globo. A pesquisa de Raymond Wheeler cobre a História da Humanidade nos últimos dois mil e 500 anos.

Sobre este presente ciclo solar de 11 anos, de acordo com as contas de R. Wheeler, é o ciclo 24 e começou há algum tempo. A NASA, eventualmente, trata do assunto. 

A previsão é de um período de fortes emissões magnéticas, 50% mais intensas que o Ciclo 23, potencialmente capazes de prejudicar/colapsar [temporariamente] a Tecnologia de base da atual Civilização, especialmente em tudo o que depende da comunicação. Calcula-se que a intensidade máxima das radiações deste período devam ocorrer entre 2011 e ao longo de 2012.


Os mais pessimistas esperam ou mesmo já constatam este momento cósmico como algo de extremamente desastroso. E apontam os acontecimentos correntes como evidência: as guerras, sim, incluindo a ressurreição do terror fundamentalista religioso mas - também - o impasse nas negociações diplomáticas em torno das guerras atuais, as disputas econômicas, territoriais, culturais, a emergência de doenças desconhecidas, a brutalidade dos indivíduos em suas relações cotidianas, as catástrofes naturais.

E sobre a loucura que afeta os homens, pesquisas mais apuradas somente comprovaram a conexão entre o banho ou overdose de magnetismo solar - com todas as suas misteriosas partículas-energias, e o despertar da besta no ser humano. 

Em 1963, os doutores Robert Becker (1923-2008) e Fredman provaram que a atividade solar intensa deflagra surtos psicóticos e insanidade em massa. 

Becker foi um pesquisador pioneiro, especialista em eletricidade biológica. Ele morreu em 2008 e deixou uma previsão: Os anos de 2011 e 2012 seriam infernais para os seres vivos que habitam a Terra. Meditemos...

FONTE: AYM, Terrence: Magnetic 'Death Vortex' Now Approaching.
[Trad e adpt. L. Cabus, 2011]
IN Before Its News, publicado em 03/11/2011
[http://beforeitsnews.com/story/1322/35/TW/Warning:_Magnetic_Death_Vortex_Now_Approaching.html]

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Uma Ponte Para Lugar Nenhum


NORUEGA – A imagem é real... mas o desespero é ilusão. A estrada que parece conduzir ao aterrador e vazio abismo, na verdade continua... em um declive abrupto. O trecho, inaugurado em 2005, fica na Noruega, costa oeste, na estrada Atlântica, no trecho da Ponte Storseisundet.




FONTE: WHITE, James. The road to nowhere! Norwegian bridge gives motorists a fright (but don't worry, it's just an optical illusion)
IN Daily Mail/UK, publicado em 02/02/2011
[http://www.dailymail.co.uk/news/article-2056698/The-road-Norwegian-bridge-gives-motorists-fright-dont-worry-just-optical-illusion.html]


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...