quinta-feira, 25 de junho de 2009

Os Segredos da Matéria Escura



Inauguração do Sanford Underground Science and Engineering Laboratory


Sioux Falls [USA] ─ Nos subterrâneos de Black Hills, South Dakota [Colinas Negras ─ Dakota do Sul], a uma profundidade equivalente a mais seis edifícios Empire States empilhados, abaixo do era uma grande mina [2,4 km] foi instalado um laboratório: Sanford Underground Science and Engineering Laboratory, especialmente equipado para cientistas investigarem as misteriosas partículas conhecidas como matéria escura. A mina é a mesma onde, no passado, o pesquisador Alfred Nobel [1833-1896, químico e inventor sueco] realizou muitas de suas pesquisas.



Essas profundezas são o lugar ideal para o tipo de experimentos aos quais se destina: suficientemente protegido de modo a evitar a penetração dos raios cósmicos que interferem na pesquisa da matéria escura, essa matéria que intriga cientistas e que, acredita-se, constitui um quarto do total da massa do Universo.


A área ocupada pelo laboratório é chamada de Davis Cavern, homenagem a Ray Davis Jr., que usou o local para demonstrar a existência das partículas solares hoje conhecidas como neutrinos. Por seu trabalho, Davis e seu colega John Bahcall ganharam o Prêmio Nobel de Física em 2002.


A primeira experiência a ser feita no novo Laboratório é a Large Underground Xenos, procedimento que pretende detectar a interação fraca entre as partículas elucidando questões relacionadas ao Big Bang, a grande explosão à qual se atribui a origem do Universo.


Tom Shutt, da Case Western Reserve University, Cleveland ─ e Rick Gaitskell, da Brown University e mais uma dúzia de colaboradores serão os caçadores da Matéria Escura, que não emite luz ou radiação que possam ser dectadas até agora. Os cientistas somente suspeitaram de sua existência pelos efeitos que sua massa [da matéria escura], que interfere nas relações das forças gravitacionais da matéria visível.


Os pesquisadores dessa estranha formação cósmica acreditam que a matéria escura não contém átomos [ou não tem constituição atômica] e, por isso, não inteage com a matéria atômica por meio dos conhecidos campos de força eletromagnéticos. No Laboratório, os acadêmicos querem saber o quê é, afinal ─ a matéria escura, quanto, de fato, dessa substância pode existir no Cosmos e como tal elemento pode interferir no futuro do Universo.


Mas nem tudo é mistério sobre a matéria escura; muitos arriscam opiniões ousadas. Físicos especulam que sem a matéria escura as galáxias jamais poderiam ter-se formado. O estudo da matéria escura pretende, também, esclarecer de uma vez se o Universo está se expandindo pela Eternidade ou se alcançará um limite de extensão e entrará em processo de contração [que deverá unificar tudo o que existe em um único corpo].


O Laboratório também investigará as partículas-fantasma [neutrinos] com o objetivo de capturá-las em tanques de 300 kg de Xenônio líquido [Xe ─ elemento químico classificado entre os gases nobres em seu estado natural, descoberto em 1898] substância fria, três vezes mais pesada que a água. Outros dois laboratórios semelhantes, subterrâneos, se o governo liberar a verba, podem ser construídos a partir de 2012 para estejam prontos para operar em 2016. Esses projetos devem custar 550 milhões de dólares.


Link Relacionado: Antimatéria e Universo Fantasma
Fonte: LAMMERS, Dirk. Work begins on world's deepest underground lab
IN NewsYahoo/AP ─ publicado em 22/6/2009



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...