quinta-feira, 17 de abril de 2014

ÁRTICO. Arqueólogos Descobrem Múmias de Povo Desconhecido



+ IMAGENS DAILY MAIL


RÚSSIA. EM TYUNEN OBLAST (província autônoma), NO YAMALO-NENETS OKRUG (Iamália, distrito autônomo), na remota aldeia de ZELENIY YAR (Зеленый Яр - Verde Jarro), situada há 29 km do Círculo Polar Ártico - 39 covas rasas foram descobertas e escavadas por arqueólogos. Os restos humanos mumificaram-se, ao que parece, por acidente. Sua peculiaridade é que os cadáveres usam máscaras funerárias de cobre.



Em verde, a YAMALO-NENETS OKRUG, província onde está situado o sítio arqueológico de Verde Jarro - Zeleniy Yar (Зеленый Яр - Verde Jarro)
+ IMAGENS DAILY MAIL


Na necrópole, medieval, foram recuperados 11 corpos com crânios quebrados ou ausentes e - ainda, esqueletos esmagados. Todavia, cinco outras múmias, as que usavam máscaras de cobre, estavam envoltas em cobre e protegidas por cobertores feitos de peles de renas, castor, lobo ou urso. Dentre estes, uma das múmias é de uma mulher e outra, uma criança.

Em local próximos destas cinco, foram achadas mais tês múmias mascaradas também infantis, todas do sexo masculino. Além das máscaras, estavam circundadas por aros de cobre, cada um, com vários centímetros de largura.


Entre as múmias das máscaras de cobre, também há o cadáver de um homem que, destaca-se dos demais, com seus ainda profusos cabelos vermelhos, protegido do peito aos pés por chapas de cobre.

Junto com ele foram sepultados um machado de ferro e um emblema representando um urso, possivelmente pertencente a uma tiara, posicionada na cabeça. Este homem foi enterrado com os pés foram colocados na direção do Gorny Poluy river, fato que os antropólogos entendem como tendo um significado religioso.



+ IMAGENS DAILY MAIL

Entre os objetos resgatados no sítio arqueológico de ZELENIY YAR, uma variedade de artefatos: tigelas de bronze de origem Persa datadas entre os séculos X e XI (anos 900 a 1000 d.C), facas de ferro, medalhões trabalhados em prata, braceletes e outras jóias, uma estatueta de bronze representando um pássaro.

O local, hoje ermo, foi um centro comercial de grande importância, mantendo relações até com a longínqua Pérsia, cerca de mil anos atrás. A necrópole não parece ter sido ali estabelecida com o propósito de preservar os restos ou mumificá-los, ao contrário do que acontece em outros achados, como na região chamada permafrost, nas montanhas Altai.

As vizinhanças da aldeia de ZELENIY YAR, próxima ao rio, possui um solo arenoso. Ali, o gelo não é permanente, não se mantém durante todo o ano. Porém, de acordo com os arqueólogos, o uso do cobre nos aparatos fúnebres e uma queda notável da temperatura (frio) durante o século XIV (anos de 1300) contribuíram para a conservação dos corpos.

A pesquisadora da Russian Academy of Sciences nos Urais, Natalia Fyodorova - comentou: Em nenhum lugar do mundo foram encontrados, [em ambientes] fora do permafrost ou área de pântados, tantos restos mumificados. É um sítio arqueológico único. Somos pioneiros em tudo, como ... tirar o objeto do solo arenoso, o quê não foi feito anteriormente.

Fyodorova sugere, ainda - que o esmagamento dos crânios pode ter sido perpetrado logo após a morte, como ritual para evitar que certos 'poderes sobrenaturais pudessem emanar do falecido.

Além disso, o trabalho dos cientistas em ZELENIY YAR, apesar de ter começado em 2002, durante esses 12 anos (até 2014) sofre a franca oposição dos habitantes da península de Yamal e consequentes paralisações. Famosa por ser uma região de concentração de energias (astrais, eletromagnéticas, biomagnéticas), é chamada pelos moradores como 'o fim do mundo.

Para os aqueles que lá moram há gerações, os cientistas estão perturbando as almas de seus antepassados. Todavia, o trabalho das escavações prossegue e estende-se, incluindo uma análise genética dos restos mortais, estudo este liderado pesquisador do Institute of Cytology and Genetcs (Russian Academy of Sciences) - Alexander Pilipenko.

+ IMAGENS DAILY MAIL

FONTES
BAKLITSKAYA, Kate. Mummified by accident in copper masks almost 1,000 years ago: but who were they?
SIBERIAN TIMES/RUSSIA, 09/04/2014
[http://siberiantimes.com/science/casestudy/features/mummified-by-accident-in-copper-masks-almost-1000-years-ago-but-who-
were-they/]
STEWART, Will. Who were the accidental mummies? Scientists baffled by amazingly well-preserved 800-year-old bodies found
in Russia.
DAILY MAIL, 14/04/2014
[http://www.dailymail.co.uk/news/article-2604315/Burial-ground-mystery-human-remains-accidentally-mummified-wearing-
copper-masks.html]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...