sábado, 23 de junho de 2012

O Retorno dos Goblins de Kentucky

ESQ.: Ilustração do PFc. Gary F. Hodson da 101st Airborne Division, estacionada em Fort Campbel - enviado para entrevistar testemunhas dos incidentes em Hopikinsville. DIR.: Ilustração de outro autor: ilustração uma espécie de espaçonave. O objeto foi visto piscando no céu mas, oficialmente, o fenômeno não foi nada além dapassagem de um meteoro. * (Private First Class, militar - um oficial de cavalaria, no caso, a 101ª Airborne Division ou - os Screaming Eagles, treinados para atuar em assaltos aéreos )

USA. No outono de 1955, pesquisadores norte-americanos de fenômenos paranormais (e/ou anômalos) reuniram-se em uma fazenda, a fazenda da família Sutton. O lugar entrou para a história dos fenômenos insólitos e sobrenaturais porque, naquela ocasião, tornou-se o cenário de um casos de presença extraterrestre entre os mais intrigantes já registrados. 

Eventos, que foram confirmados por dezenas de testemunhas credíveis, consistiam em ataques noturnos que foram atribuídos a "homenzinhos verdes". 

Essas criaturas foram descritas como sendo alienígenas, com a aparência de duendes ou, segundo a explicação oficial divulgada por militares, meros macacos de circo pintados de prateado. Este caso torno-se conhecido como o Encontro Kelly-Hopkinsville ou O Caso dos Goblins de Hopkinsville.

Mais recentemente, em 2011, no mesmo estado norte-americano, Kentucky - eventos semelhantes àqueles do passado começaram a ocorrer, segundo relato de uma das  "vítimas" do retorno dos goblins: membro de uma família atacada, que denunciou os fatos. Mas, ao contrário do que aconteceu na década de 1950, desta vez, os alienígenas (estes estranhos) deixaram evidências de sua visita.

Há dois meses atrás (2012), um integrante de um grupo de Caça-fantasmas, O Ghost Hanters Incorporated, acessou uma conta de email antiga [ghostuntersinc@gmail.com], que ele não usava há oito anos e acessa apenas para fazer mera checagem periódica. 

Naquele dia, em meio às correspondência costumeira - coisas comuns, algumas despropositadas, algumas desimportantes e alguns convites, encontrou uma mensagem diferente, datada em 22 de abril (2012). Era um pedido de socorro. O nome do remetente - David - é fictício, ele não quer ser identificado publicamente. Diz a mensagem:

Meu nome é ... [David]. Recebi o contato de vocês através de um conhecido que me garante que vocês estão bem equipados para investigar problemas peculiares. Além disso, acredito que vocês podem ter interesse nesses eventos e eu estou preparado para entregar qualquer compensação para
 ter estas questões esclarecidas.

Durante os últimos seis meses tenho vivido em uma casa rural localizada na fronteira da Virgínia Ocidental com Kentucky, onde minha família é atacada por criaturas noturnas que eu venho a crer que sejam de origem extraterrestre. 

Estes seres parecem ter o tamanho e estatura de uma criança pequena, são desprovidas de quaisquer características faciais exceto olhos muito grandes brilhantes, oleosos - e bocas sem lábios. 

Eles assustam meus filhos, olhando através das janelas de seus quartos e ficam chilreando (emitindo ruídos, chilros ou guinchos) uns para os outros. Eles têm tentado, ativamente, entrar na minha casa no meio da noite. No mês passado, levaram meu cão. A polícia se recusa a prestar qualquer assistência, atribuindo o problema a animais selvagens.

Eu acredito que eles vêm de uma mina abandonada localizada nos limites de minha propriedade. Embora esteja armado, eu estou com muito medo de entrar na mina sozinho e, não pude convencer amigos a acompanhar-me. Estou convencido que a única solução é destruir a mina.

É neste ponto que, acredito, podemos ser úteis um ao outro. Se vocês estiverem preparados para me ajudar neste assunto eu posso fornecer-lhes permissão para registrar e documentar esses eventos na condição de manter meu anonimato. Posso garantir a evidência dessas criaturas e asseguro, não são animais selvagens.


Na reportagem (que aqui traduzimos e adaptamos), o representante deste "Caça-fantasmas" - o GHI, explica que sua equipe jamais investigou casos de extraterrestres. Ele conta:

Pensei que o e-mail era uma piada. Escrevi de volta dizendo que, infelizmente não tínhamos nenhuma experiência com extraterrestres mas ficariamos felizes em ajudar se ele não se importasse em fornecer mais detalhes e alguma evidência. Postei o email. 

Comentando o caso na minha página do Facebook... o assunto tornou-se uma especulação divertida. Essas conversas levaram... à criação do Alien Cave Base Task Force (algo como Base da Força Tarefa Caverna Alinígena), um outro grupo, (porque o antigo não atuava mais) aventureiros, entre amigos e desconhecidos que comprometeram-se a viajar até Kentucky...

Eu não acho que qualquer um de nós acreditava, honestamente, que havia alguma chance dessa viagem ter realmente acontecido... Mas, recebi uma nova mensagem de David. Eis ao texto:

Obrigado pela resposta rápida. Não culpo vocês por serem céticos em relação à minha história. Eu agradeço por manterem a mente aberta sobre a minha situação e estou feliz em fornecer informações tanto quanto sou capaz. O contato de vocês me foi dado por um homem de nome Terry Wriste 

[NOTA DOS EDITORES: Terry Wriste, este nome é existe e foi mantido na reportagem devido à sua relevância e ao fato de que, embora seja de uma pessoa real, também é fictício, como será esclarecido adiantel]. 

Quando estas perturbações começaram a ocorrer eu fiquei inclinado a confiar em um amigo pessoal que eu sabia que tinha interesses marginais [em assuntos e natureza insólita]. Ele se ofereceu para partilhar minhas preocupações com um homem que tinha lidado com experiências semelhantes no passado. Eu aceitei a oferta. 

Em uma semana fui informado que o tal senhor tinha se aposentado das atividades desse tiipo mas estava disposto a fornecer contatos que poderiam estar dispostos a ajudar. Foi assim que cheguei a contactar vocês. 

Eu nem posso dizer porquê aceitei a recomendação de um cavalheiro que não conheço pessoalmente mas fiquei com a impressão de que vocês iriam encontrar a resposta.

Estou localizado no Condado de Pike (Pike County), há pouco mais de meia hora próximo à cidade de ... [dado omitido], Kentucky. 

A maior parte do Condado de Pike é composta de cidades e comunidades rurais e não é incomum passar dias sem ver meus vizinhos mais próximos. Mudei-me para esta área para ter paz e tranquilidade. Mas não tenho nenhum dos dois.

Eu tenho vivido aqui há pouco mais de sete meses e nesse tempo os assédios aconteceram nos últimos três (meses). Eu não tomava conhecimento de qualquer anormalidade até o início de dezembro (2011), quando comecei a fazer um registro dos eventos. No início, eram rastros estranhos na neve ao redor daminha casa. 

No começo eu pensei que eram de algum tipo de animal, ainda que fossem muitos semelhantes a pegadas humanas, exceto pelo calcanhar. Naquela época, eu tinha a impressão de era somente uma criatura. 

Mas, nas semanas seguintes comecei a suspeitar que estava lidando com mais indivíduos e que podia ser um "trote" por causa da minha chegada na área (porque era novo no lugar).

Neste ponto, já não podia manter meu cão (uma cadela) ao ar livre durante a noite. Qualquer tentativa de deixá-lo do lado de fora fazia com que ela latisse sem parar até que fosse autorizada a entrar na casa. 

Eu já tinha encontrado as portas do galpão abertas em várias ocasiões e muitos brinquedos dos meus filhos desapareciam ou mudavam de lugar. Meu quintal ficava em uma desordem geral. Eu relatei tudo à polícia mas ficava cada vez mais claro que eles não estavam interessados no meu caso...

Na segunda semana de janeiro, eu estava tomando café da manhã com minha família quando minha filha de cinco anos começou a falar sobre as "crianças sem cabelo".

Quando minha esposa perguntou sobre essas crianças, ela nos disse que tinha passado a noite anterior vendo-as brincar no quintal. Como você pode imaginar, isso me deixou preocupado. 

Perguntei à minha filha como eram essas crianças e ela disse: "Eram carecas, como vovô e não vestiam nenhuma roupa"

No mesmo dia, encontrei uma guirlanda, que estava dentro do alpendre na parte de trás da casa, enfiada na caixa do correio. 

No dia seguinte, comprei, instalei e ativei sensores de movimento e, durante um tempo, os problemas cessaram. Mas, no final de fevereiro minha filha deu o alarme de que as "crianças carecas" tinham voltado.

Eu fui acordado com o som de minha filha gritando e corri para o quarto dela. Encontrei-a no meio do corredor. Quando minha esposa e eu, finalmente, conseguimos acalmá-la o suficiente para falar. 

Ela nos disse que as crianças estavam espiando pela janela do quarto dela mas não conseguiam alcançar além do parapeito e, então começaram a bater no vidro. Desde então, ela não dormiu mais no próprio quarto.

Naquela manhã eu telefonei para a polícia pela segunda vez e eles enviaram um soldado à nossa casa. Eu o informei do que tinha acontecido e de como minha cadela já não podia ficar do lado de fora ao anoitecer e também falei das "crianças carecas". 

O policial viu o solo remexido embaixo da janela do quarto de minha filha mas disse que estávamos lidando com um animal e que seria melhor eu entrar em contato com a Comissão de Caça.

Durante a semana seguinte, quase todos os dias eu encontrava alguma evidência de algo ou alguém tinha estado em minha propriedade na noite anterior. 

Tornou-se comum encontrar manchas nas janelas, pedras da calçada arrastadas para o outro lado do gramado e a rasgos na porta de tela. Na quarta feira, 07 de março, eu finalmente vi as "crianças sem cabelo".

A cadela me acordou por volta de 1:30 da manhã, arranhando a porta de trás e ganindo para ser solta. 

Notei que o alarme de luz estava em movimento e fui até a cozinha para verificar se as portas estavam fechadas quando vi, pela janela, um indivíduo no meu gramado. 

A cadela andava em círculos e pude ouvir o ruído da presença de alguém mexendo na caixa postal da varanda. Eu fiquei com raiva e minha reação foi bater com força na janela e gritar. Neste momento, ouvi a porta de tela abrir e bater de volta. 

Ouvi também o guincho. Soava como um gambá, porém, mais gutural. Então percebi que havia mais dois daqueles indivíduos na minha propriedade. 

Vi suas sombras que juntaram-se ao outro. Eles movimentavam-se de um lado para o outro aí notei uma figura pelo canto do meu olho.

Estava no canteiro de flores. Era uma figura pequena, humanóide, pálida como um doente, completamente careca. Olhava para os outros e pareceu que não tinha reparado em mim. Não tinha feições, somente os olhos, como de um pássaro, grandes e redondos. Não tinha nariz e no lugar da boca, tinha uma fenda. 

Quando emitiu seu guincho, não moveu a fenda, o som parecia sair de sua garganta. Não era um animal selvagem e, certamente, não era uma criança. 

Eu estava apavorado demais para me mexer e vi quando este sujeito pulou para junto dos outros e todos correram para a floresta do lado direito de minha propriedade. Ficou claro que eram ao menos cinco naquele grupo.

Eu nem mencionei esse incidente para minha mulher e só falei sobre isso com o amigo de quem falei, o Sr. Wriste. Eu prefiro manter as coisas assim e cuidar desse problema o mais discretamente possível. 

Desde aquela noite, minha cadela desapareceu e só posso imaginar que seu desaparecimento está relacionado com aquelas criaturas. Eu tenho procurado por ela durante o dia mas, não a encontrei. Porém achei muitos dos meus pertences, que tinham desaparecido na entrada da mina abandonada. Não me atrevo a ir lá dentro.

Meu amigo me convenceu de que minha experiência é semelhante a outros casos de "visitação" e me deu uns materiais de referência. 

Estou ciente da natureza bizarra do estou dizendo mas estou com medo e não tenho explicação para o quê eu vi. Não vejo outra opção senão, ao menos vedar a entrar da mina. Não consigo fazer isso sozinho. Estou com medo de tentar. 

Já não me atrevo a compartilhar esses fatos com outras pessoas porque temo arruinar minha carreira e a reputação de minha família. 

Estou preparado para compensar suas despesas de viagem e oferecer-lhes um acesso ilimitado a qualquer equipamento de gravação que sejam necessários com a condição de manter meu anonimato. só quero me livrar deste problema. Se quiser fotografias me informe para onde enviar.

Depois disso, o grupo Alien Cave Base Task Force começou a tornar-se agente de uma missão mais séria. 

Os caçadores, agora de alienígenas, lembraram que as informações sobre o caso eram familiares: lembravam o caso dos Goblins de Kentuky de 1955. Somente o nome do fornecedor do contato Terry Wriste - era completamente desconhecido. 

Porém, consultando o Google a equipe de caçadores descobriu que este foi o pseudônimo usado por um ex-militar, ocultista, que tinha duas entrevistas publicadas em livros inexpressivos, impressos em meados dos anos de 1990: 

A Cipher Secret of the Ufonauts e The Secret Rituals of The Man in Black. Livros que tratam de Ufologia e alienígenas e falam de como entrar em contato com "ultraterrestres" através de cerimônias secretas, supostamente reveladas por Aleister Crowley. Os dois livros são do mesmo autor: Allen Greenfield. 

Na introdução de cada um dos livros, estão as entrevistas com Mr. Terry Wriste - que, admite que seu nome é fictício. 

Wriste fala sobre um grupo guerrilheiro de veteranos do Vietnã, formado nos anos de 1970, cuja missão incluiu a infiltração (em bases) e destruição de bases alienígenas subterrâneas em uma região do sul dos Estados Unidos, onde muitas das entradas para essas bases teriam sido localizadas, entre elas, uma na famosa Brown Mountain, na Carolina do Norte. Eis um trecho de uma dessas entrevistas: 

Nós estávamos em uma espécie de caverna, eu diria que o lugar tinha sido artificialmente escavado. 

Era iluminado por uma luz esverdeada e difusa, porque sua fonte era inidentificável. Todo o lugar assemelhava-se às descrições de bases alienígenas do ufólogo David Shaver... 

Fomos confrontados com estes pequenos e acinzentados seres humanóides... Um de nosso rapazes... atirou. Ele tinha um rifle M-1. Um tiro - e o pequeno ser iluminou-se de azul e desapareceu. 

Então, ouvimos um som e eu senti minha própria arma, um M-16, tornar-se insuportavelmente quente. Deixei-a cair. Viramos para correr e deparamo-nos por dois daqueles seres.

O que quer que tivesse aquecido meu rifle, aparentemente, não tinha atingido minha pistola, uma Lunger Vintage e, então, um dos pequenos teve a última surpresa de sua vida. O outro correu, subindo a encosta e eu fui em sua perseguição. Quando saímos da área iluminada, ele tinha simplesmente sumido. 

Ouvi explosões e disparos de armas de fogo atrás de mim. Continuei com a pistola na mão, olhando em volta, alerta, mas nada mais aconteceu e eu voltei por onde tinha vindo. 

Três de nós jamais conseguiram voltar à superfície. Um deles, que conseguiu, como eu, morreu um ano mais tarde de leucemia. Ele tinha uns 25 ou 26 anos. Talvez não tenha nenhuma conexão entre a morte dele e esse episódio.

A Alien Cave Base Task Force pesquisou mais: descobriram que Pike County é um lugar repleto de minas abandonadas e que o leste de Kentuky possui um dos mais amplos entre os complexos de cavernas subterrâneas da América do Norte. 

Além disso, o estado registra alguns dos mais estranhos avistamentos de OVNIs. A Task Force também entrou em contato com a polícia estadual do Condado de Pike para obter mais informações e a resposta foi que ali... Alienígenas são relatados o tempo todo.

Os caçadores contactaram, David, por email, mais uma vez, pedindo provas mais consistentes que realmente justificassem o deslocamento da equipe até Kentucky. Desta vez, a resposta demorou a chegar; mas chegou, na semana passada (neste mês - a matéria é datada em 20/06/2012). David escreveu:

Minhas desculpas pelo tempo que demorei para responder ao seu email anterior. A situação na minha casa tornou-se insuportável e optamos por ficar com a família de minha esposa, fora do estado até que uma solução adequada pudesse ser definida. Eu estou completamente desnorteado.

Esta tarde, meu cunhado e eu viajamos de volta para a casa pela primeira vez em um mês. Eu precisava verificar a segurança de minha propriedade e recolher alguns pertences. 

A casa parece relativamente intocada, levando-me a acreditar que essas criaturas foram motivadas pela presença de minha família. Como você pediu, eu trouxe a câmera fotográfica com a finalidade de obter algumas provas fotográficas.

Embora a casa estivesse livre de adulterações, fui capaz de encontrar um rastro de impressões que correspondem ao tamanho e forma das criaturas. As pegadas levam até a floresta atrás da minha casa, depois de um riacho que corre perto da mina.

Meu cunhado, um desportista entusiasmado, não conseguiu identificar as pegadas. Talvez você conheça alguém que possa identificar as impressões. Vou passar as próximas duas noites na casa e enviarei mais fotografias se a oportunidade se apresentar. Estou ansioso para saber a opinião de vocês.

Não é preciso ser um especialista para perceber que as pegadas são estranhas. Mas por quê são estranhas? Podem ser falsas, fabricadas; podem pertencer a um animal cujas pegadas não estamos acostumados a ver; ou podem, de fato, pertencer a seres desconhecidos, alienígenas.

As imagens foram divulgadas na internet na esperança de que alguém pudesse elucidar de quê ou de quem poderiam ser os rastros. Surgiram algumas especulações: rastros de porcos selvagens; de ursos e mesmo, Sasquatches, entre outras. Um internauta sugeriu que foram produzidas por um homem usando pernas de pau com pés estranhos.

Alguém lembrou que o caso e as imagens lembram o caso do Demônio de Dover, que envolve uma criatura que corresponde à descrições de David. Outra pessoa, mencionou a aparição do Monstro Fouke, na década de 1970 quando o jornal Texarkana publicou uma foto muito similar.

Em mais um email, David enviou três registros fotográficos das criaturas que, segundo David, aterrorizaram sua família. As imagens foram feitas usando sans flash, com zoom digital de 2,1 com uma câmera Canon !6630. As fotos foram obtidas em 19 de junho de 2012, às 6:01 da manhã.



Essas fotos não são nada conclusivas. Um dos membros da Task Force, Robyn Montella, analisou as fotografias e conseguiu alguns resultados interessantes. O International Center for Fortean Zoology também está examinando o material. 

Os novos caçadores de alienígenas pedem a colaboração dos internautas de todo o mundo. Se alguém reconhecer ou, fazendo sua própria análise das imagens, puder acrescentar alguma informação significativa, faça contato com o website que divulgou esta história 

[http://whofortedblog.com/2012/06/20/return-hopkinsville-goblins/]
ou email, reativado - Alien Cave Base Task Force [ghostuntersinc@gmail.com].

FONTE: Have the Kentucky Goblins Returned? Exclusive Photos!
WHO FORTED BLOG, publicado em 20/06/2012.
[http://whofortedblog.com/2012/06/20/return-hopkinsville-goblins/]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...