domingo, 18 de março de 2012

Cristovão Colombo, o Espião Português




Retrato póstumo de Cristóvão Colombo. Sebastiano del Piombo, 1519


HISTÓRIA. Segundo a História acadêmica, o Continente Americano, em especial, as terras da América Central e América do Norte, foram descobertas (ou redescobertas) pelo navegante italiano Cristovão Colombo (1451?-1506). A biografia de Colombo sempre foi misteriosa. Apesar de - em geral ser considerado italiano, nascido em Gênova, essa informação sempre foi questionada.

Recentemente, pesquisadores que investigam a vida do navegante afirmam ter decoberto a verdadeira identidade e o verdadeiro papel histórico do homem que ficou conhecido como Cristovão Colombo. José e Antônio Mattos e Silva (engenheiros e, peloquese pode entender, irmãos). Segundo estes estudiosos, Colombo não nasceu em Gênova, nem na Itália mas, em Portugal, por voltado ano de 1450, em uma vila do Alentejo - região centro-sul daquele país - chamada Cuba.

Seu nome de batismo teria sido Sancho Anes da Silva, filho da infanta Dona Leonor, de Portugal - futura imperatriz do sacro Império Romano Germânico e de Dom João Meneses da Silva (futuro beato Amadeu).

Nos livros de História, Colombo teve seu projeto de navegar rumo ao Ocidente - em busca de um caminho marítimo alternativo para as Índias - recusado pelo monarca português da época, Dom João II. A idéia foi acolhida pelos reis espanhóis, os chamados reis católicos, Isabel e Fernando. Todavia, durante toda a sua empreitada, Colombo estaria a serviço dos portugueses, como espião.

Os pesquisadores Mattos e Silva, na conferência - "Colon: finalmente descoberta sua verdadeira identidade" - proferida na Casa Colombo, na freguesia* de Vale do Paraíso*, uma vila de Azambuja"* - afirmam que a viagem de Colombo, em particular, seu retorno à Europa, incluiu a passagem não-oficial em terras portuguesas, antes de sua chegada ao porto de Palos, na Espanha.






A viagem de volta começou em 3 de janeiro de 1493. O diário de bordo omite uma passagem nas ilhas Açores mas que, em qualquer caso teria o pretexto de um desvio de rota provocado por um temporal. Porém, o desvio foi além e o descobridor aportou em Lisboa em março de 1493.

Ali, teria acontecido seu encontro secreto com o rei D. João II, no Vale do Paraíso (o mesmo lugar onde os pesquisadores apresentaram sua teoria). Além disso, visitou sua mãe, Dona Leonor que, na ocasião, encontrava-se no Convento de Santo Antônio de Castanheira, em Vila Franca de Xira.Somente depois dessas entrevistas, retomou seu destino à Espanha.

A passagem por Portugal e o encontro com os monarcas é, de fato, suspeita. Para os investigadores, Colombo comunicou suas descobertas ao rei português antes de fazer o mesmo com os reis espanhóis. Assegurava, deste modo, vantagem econômicae política para Portugal, agindo como espião.

O objetivo foi influenciar as determinações da Bula Inter Coetera, promulgada pelo Papa Alexandre VI e que regulamentava a posse de novas terras descobertas no ocidente fosse favorável aos interesses de Portugal no que se refere à especificação dos marcos de território. A bula foi publicada em 03 de maio de 1493, antes que o Vaticano soubesse do resultado da viagem do navegador "genovês". Mais tarde, Portugal obteve um acordo ainda mais vantajoso com a assinatura do Tratado de Tordesilhas.

* FREGUESIA. Algo como uma paróquia, uma divisão administrativa relacionada à gestão no âmbito religiosos, circunscrição eclesiástica; seu equivalente em inglês é o condado ou as parishes)

* AZAMBUJA. Cidade, distrito de Lisboa - sendo o distrito, algo semelhante a um estado de federação.

FONTE: Cristóvão Colombo ou o espião ao serviço de Portugal que passou por Vale do Paraíso.
Mirante/Pt, published in 16/03/2012
[http://www.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=54&id=50399&idSeccao=422&Action=noticia]


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...