domingo, 12 de junho de 2011

Caçadores da Arte Perdida



Anthony Van Dyck, auto-retrato nos anos de 1630.


Van Dyck foi um dos pintores mais reverenciados do século XVII. Viveu na Grã-Bretanha onde era artista na corte de Carlos I. Um dos achados: O quadro (abaixo), "Retrato de uma jovem com leque" (o leque não aparece nesta foto), descrito pela Christie's apenas como pertencente à escola flamenga do século XVII, descobriu-se, é obra de Van Dick e agora vale 3 milhões e meio de libras (pouco mais de 9 milhões! de reais). Antes, a estimativa de preço de venda não passava das 17 mil 600 libras (cerca 45.5 mil reais). O caçador de tesouros da arte Philip Mould, comprou o retrato.




Foto: Photograph: Philip Mould Ltd


UK – Philip Mould, comerciante de arte britânico especialista em mestres da pintura, demonstrou, mais uma vez, seu extraordinário conhecimento descobrindo três peças raras, todas de Van Dyck, em período de apenas 18 meses em meio às inúmeras ofertas de arte disponíveis no mercado convencional e na internet.

Em 2010, ele comprou na Christie's dois quadros que eram descritos como "atribuídos a anônimos". Custavam 20 mil e 8 mil libras (51 mil e 700 reais e 20 mil e 700 reais), respectivamente. A terceira peça, identificada apenas como "uma cópia" pertencente ao século XIX, Mr. Moulkd encontrou em leilão de depósito do Museu Bowes, em County Durham. Os quadros revelaram ser tesouros preciosos, obras autênticas de Anthony Van Dyck (1599-1641), reverenciado artista holandes, verdadeiro mestre do século XVII.

A primeira vez que viu a "..Jovem com leque", Mr. Mould estava com com outro especialista, seu amigo, Bendor Grosvenor. Era só uma fotografia do quadro. Porém, ambos tiveram 90% de certeza de que estavam diante de um Van Dick perdido. Mould comenta que apesar das camadas de sujeira

...Ainda era possível ver que estávamos lidando com uma pintura, potencialmente, de alta qualidade. A expressão solitária da personagem deixa claro que o retrato não representa a miniatura de adulto, como era freqüente de se ver nas pinturas do século dezessete mas, uma criança. Poucos artistas são capazes de sutil caracterização e talvez o melhor – entre os capazes – seja Van Dyck.


Estratégia do Caçador

Philip Mould e Bendor Grosvenor contam como AGIR na caça e CAPTURA de um tesouro pda arte perdido. Você tem de olhar casualmente, finge estar interessado em outras peças, que você sabe que não têm valor. Começa, então, a investigação. No caso da "...Jovem com leque", por exemplo, os detetives, Mould e Grosvenor, foram procurar evidências documentais, incluindo estudos de duzentos pesquisadores da área. Eles conseguiram uma fotografia datada de 1940, encontrada em um acervo nazista, onde a obra era identificada como sendo de Van Dyck.

Os proprietários passados da peça foram rastreados, incluindo um certo John Smith, renomado conhecedor de arte do século XIX (anos 1800), comerciante, que registrou sua venda para a Christie's em 1835, por 169 guinéus. A anotação descreve detalhes da imagem, como a cor do vestido. No catálogo de vendas da loja daquele ano, aparece o quadro... identificado como um Van Dyck. Ao que parece, em algum momento, por duas vezes, desde que não foi vendido, a partir de 1835, os analistas de estoque da loja perderam a referência da origem, autoria e valor daquela peça.

Mould comprou essa pintura. Pouco depois, outro comprador tentava arrematá-la subindo o lance para um milhão de libras, sinal de que o Van Dyck estava prestes a ser ou já tinha sido reconhecido por outro pesquisador. Removidas a sujeira e o verniz, revelaram-se os traços delicados do pincel, as cores, os dedos alongados da criança tão peculiares à obra de Van Dyck. Hoje, o quadro é avaliado 3 milhões e meio de libras.





O Círculo de Van Dyck

O Círculo de Van Dick, Estudo Piloto de um Homem Velho, também pertencia à Christie's. Estava em uma galeria secundária, de uma filial, em Kensington. Na venda antecipada, o preço oscilava entre 5 mil a 8 mil libras. Mould reconheceu o trabalho como sendo, especificamente, a Cabeça de São José, esboço para uma outra pintura perdida do mestre holandês: a Sagrada Família.

A pintura (Sagrada Família) é conhecida por uma versão (em esboço) que teria sido produzida por Van Dyck e seus discípulos, assistentes de estúdio, a óleo mas sobre papel, no atelier do Manchester Museum. Também esta obra, o esboço da cabeça de São José, estava coberta de sujeira e verniz gasto.


Mould conta: Ficamos impressionados com a qualidade logo que vimos no catálogo. no fim do leilão, ele comprou a Cabeça por 121 mil e 250 libras (pouco mais de 313 mil reais). Hoje, como um legítimo estudo a óleo de Van Dyck, vale 350 mil libras (pouco mais 900 mil reais).


Retrato de Olívia Porter



O terceiro tesouro que os "caçadores" descobriram em dezoito meses de pesquisa Mould encontrou no Catálogo de uma Fundação/Instituição Pública que continha fotos de todas as pinturas à óleo pertencentes a coleções públicas britânicas.

Lá estava o Retrato de Olívia Porter (ou Depois de Van Dyck, Retrato de Olivia Porter). O especiaslista reconheceu, por baixo de séculos de desgaste, a roupagem sofitiscada, a coloração e a expressão facial típicos de Van Dyck, especialmente em retratos femininos da década de 1630, período em que o artista viveu na Inglaterra. Essa pintura será exibida sem restauração mostra Encontrando Van Dick (Finding Van Dyck) na galeria Philip Mould Fine Paintings, em Londres.




A mostra, que reúne várias das descobertas de Mould como caçador das artes perdidas, inclui o último auto-retrato de Van Dyck (acima). Não é a primeira vez que Philip Mould descobre um tesouro artístico perdido. Ele comprou no E-Bay um Gainsborough (Thomas Gainsborough, 1727-1788) por 120 libras... entre outras proezas.


LINK RELACIONADO: Lendas da Arte

FONTE: ALBERGE, Dalya. Van Dyck paintings unearthed by saleroom sleuth.
IN Guardian/UK, publicado em 11/06/2011
[http://www.guardian.co.uk/artanddesign/2011/jun/11/saleroom-sleuth-unearthed-van-dycks]


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...