terça-feira, 10 de maio de 2011

Magos, Djins e Política no Irã


O presidente do Irã,
Mahmoud Ahmadinejad
e seu supostamente
místico chefe de
gabinete, Rahim Mashel.


IRÃ – Estamos no século XXI. Mas... Aliados próximos ao presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, estão sendo acusados de usar poderes sobranaturais! para promover e fortalecer a política de seu líder em meio a uma disputa de poder entre o presidente e o (verdadeiro?) líder supremo do país, o Aiatolá Ali Khamenei.

Várias pessoas que cercam (da corte de) Ahmadinejad e, especialmente, de seu chefe de gabinete, Rahim Mashaei, foram detidos nos últimos dias (fim de abril/começo de maio, 2011) acusados de serem mágicos e invocarem djins! (gênios, espiritos, demônios, como nos contos das Mil e Uma Noites – em benefício de seus objetivos políticos).

O site de notícias do Irã, Ayandeh, descreveu um dos homens detidos, Abbas Ghafari, como: Um homem com habilidades especiaís na metafísica e conexões com o mundo do desconhecido(!). O atrito entre o presidente do Irã e o clero islâmico dirigente é um aspecto da política iraniana que não aparece muito nos noticiários. Porém, há tem o conflito vem recrudescendo.

Os Aiatolás sentem que as ações do poder laico, o Executivo do país, tem inteções claras de enfraquecer e, no devido tempo, eliminar o poder do clero muçulmano. O Aiatolá Mesbah Yazdi, clérigo linha-dura ligado ao Aiatolá Khamenei, advertiu que a desobediência ao líder religioso - que, teoricamente, até então, tem o poder supremo do Irã - é equivalente a "apostasia de Deus", ou seja, renegar Alá e o Islã (a penalidade para isso, deixe-nos ver... deve ser... a morte, claro).

No momento, o ponto de maior discórdia entre o presidente e o Aiatolá supremo, Khamanei e a posição do chefe de gabinete, Rahim Mashaei. Khamenei que o suposto envolvido com magia seja imediatamente afastado. Ahmadinejad, resiste e há fortes rumores que ele pretende fazer de Rahim Mashei, seu sucessor.






Todavia, a inspiração de Mahmoud Ahmadinejad é ainda mais anacrônica que a insistência dos Aiatolás em manter um estado pretensamente teocrático. A questão do sobrenatural veio à tona depois do lançamento de um documentário iraniano falando sobre o iminente retorno do lendário Imã Oculto Mahdi.

O Imã Oculto é venerado como o Salvador do Islã Xiita. Seu retorno é esperado por fiéis muçulmanos daquela seita tal como o ressurgimento do Cristo Jesus é esperado pelos cristãos. Mas os Aiatolás contestam vigorosamente esta crença. Dizem que o retorno do Mahdi não foi profetizado e acusam o círculo próximo ao presidente, sob orientação de Mashei, de serem responsáveis pelo documentário.

De fato, a obsessão de Ahmadinejad pelo Imã Oculto é bem conhecida. Ele se refere a esse Salvador em discursos públicos. Em 2009 chegou a afirmar que os Estados Unidos estavam tentando impedir o retorno do Mahdi!

Magos, djins, um Imã Oculto. Este também é o Irã. Porque o Irã, por mais se tente se colocar como rigorosamente muçulmano, não pode deixar de ser – nem extirpar de sua alma – a herança dos Parses, dos Magi, dos zoroastrianos. Por mais que o Islã (ou qualquer Igreja) ameace e vocifere, isso jamais será o bastante para apagar a história dos povos que, um dia, foram convertidos à força.

FONTE: DEHGHAN KAMALI, Saeed. Ahmadinejad allies charged with sorcery.
IN Guardian/UK, publicado em 05/05/2011
[http://www.guardian.co.uk/world/2011/may/05/ahmadinejad-allies-charged-with-sorcery]


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...