segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Tesouros Perdidos da Arte


EUA – Em Buffalo, estado de Nova Iorque, a família Kober descobriu uma pintura inacabada. O quadro mostra Maria acolhendo Jesus depois da crucificação, cena conhecida como Pietá

Durante os anos de 1970, o quadro ficou pendurado na parede por um ano porém, em certa ocasião, como se a peça fosse atingida pelas bolas das brincadeiras das crianças, achou-se por bem resguardar o objeto. O quadro foi embrulhado e escondido atrás de um sofá.

O embrulho lá ficou, esquecido durante 27 anos até que um membro da família, o tenente-coronel da Força Aérea Mr. Martin Koeber, 53 anos, aposentado em 2003, por sugestão do pai, resolveu dedicar-se a pesquisar as tradições da família, entre elas, um mistério envolvendo o velho quadro jogado à poeira do tempo: diziam que aquela era uma obra inacabada do Mestre italiano Michelangelo (1475-1564).

Mr. Kober começou sua investigação com a História da Pintura. Entrou em contato com várias casas de leilão; com estudiosos da arte Renascentista. Consultou arquivos europeus. Reuniu-se com diretores de museus Itália. Finalmente, conheceu o restaurador de arte e historiador italiano Antonio Forcellino que resolveu desvendar o caso.

Em seu novo livro, La Pietá Perduta ou The Lost Pietá – A Pietá Perdida, publicado na Itália este ano [2010] Forcellino escreve:  

Não era a história [da descoberta do quadro], somente, que me espanta mas que a peça tenha ficado exposta e tenha resistido tão bem ao aquecimento comum nas casas de classe média. À princípio, pensei que fosse uma cópia.

Ainda assim o especialista foi até Buffalo, à casa dos Kober, somente para ver a pintura. Forcellino comenta sua impressão: Na verdade, a pintura era ainda mais bonita que as versões que estão em Roma e Florença. E acreditou que, muito provavelmente, o quadro é autêntico.

A análise científica da pintura pode ser a prova de que o Mr. Forcellino não está enganado. O painel de madeira medindo 25x19 polegadas [64x49 cm], submetida a testes com raios infravermelhos e raios X, mostrou muitas alterações feitas pelo artista, suas mudanças de idéia e uma porção inacabada perto do joelho direito da Madona.


The Deposition, The Florentine Pietá.
Michelangelo, 1550.
Museo dell'Opera del Duomo, Florença.

Forcellino avança em seu raciocínio: A evidente porção inacabada demonstra que esta pintura nunca, jamais, poderia ser uma cópia de outra obra. No Renascimento, nenhum cliente pagaria uma cópia inacabada. 

[Talvez o historiador Forcellino não tenha cogitado que sempre existe a hipótese de um cliente mau pagador ou um artista aborrecido.. Mas eu penso nisso. Meditemos...].

Outra questão curiosa é rastrear a trajetória da tela entre a Itália Renascentista e os Estados Unidos da América. As pesquisas históricas indicam que o trabalho poderia ter sido feito por Michelangelo [1454-1564] por volta de 1545, século XVI. O cliente seria uma amiga [ao que parece] do artista, Vittoria Collona. Isso aconteceu quase 45 anos depois da criação da famosa Pietá, escultura que se encontra na Basílica de São Pedro.

A Pietá Perdida dos Kober começou sua peregrinação quando passou pelas mãos de dois cardeais católicos antes de tornar-se propriedade de uma aristocrata alemã, a baronesa de Villani. 

A baronesa deixou o quadro como herança para sua dama-de-companhia, Mrs. Gertrude Young. Mrs. Young era cunhada do bisavô de Mr. Martin Koeber e, assim, finalmente, Gertrude resolveu mandar a peça para os parentes, na América, os Kober, em 1883. Isso consta nos apontamentos do patriarca Kober.



La Pietá, Basílica de São Pedro, Vaticano. Michelangelo, 1499.

Mas nem sempre esta Pietá esteve atrás de um sofá: em 1868, ainda na Europa, um conhecido biógrafo de Michelangelo, Herman Grimm, viu a pintura e imediatamente atribuiu-a ao mestre. Forcellino está totalmente convencido que o quadro esquecido é, de fato, uma pintura de Michelangelo.

Outro especialista em Michelangelo, o professor de Arquitetura e História, da Universidade de Washington de Arte, em Saint Louis [USA], William Wallace, disse que viu a pintura antes que Martin Kober, por sua própria conta, submetesse a tela a uma restauração/limpeza, para remover os quinhentos anos de desgaste e o acúmulo da inevitável sujeira depositada pelo tempo.

Wallace adverte que não há como, de maneira inquestionável, estabelecer a autoria do quadro. O reconhecimento dessa autoria vai depender do peso da opinião dos especialistas. 

Porém, o valor potencial da pintura é inegável. Atualmente, ela já está sob a guarda de um cofre, em um banco. Desenhos raros de Michelangelo que foram postos à venda nos últimos anos foram cotados em até 20 milhões de dólares. La Pietá Perduta pelo já é e representa pode valer até 300 milhões de dólares.

FONTES:
New York family discovers lost Michelangelo paintingIN News, Autrália – publicado em 11/10/2010
[http://www.news.com.au/weird-true-freaky/new-york-family-discovers-lost-michelangelo-painting/story-e6frflri-1225937018975]
KLEIN, Melissa. A 'Mike' found in Buffalo?
IN NY Post, USA – publicado em 11/10/2010
[http://www.nypost.com/p/news/local/mike_found_in_buffalo_Or3Ok3NfUR21qEqBxK3u2H]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...