domingo, 11 de julho de 2010

Amados Defuntos



PENNSYLVANIA, USA – Na pequena cidade ou condado de Bradford, em Endless Mountains [cadeia de montanhas a noroeste do estado da Pennsylvania] , Mrs. Jean Stevens, 91 anos, foi autuada pela polícia por manter, em casa, os cadáveres embalsamados de seu marido, James Stevens e sua [dela] irmã gêmea, June Stevens. Mr. Stevens morreu em 1999 enquanto Mrs. June [que também é Stevens porque era casada com o irmão gêmeo de Mr. James Stevens], fez a passagem em outubro de 2009.

Ambos tiveram enterros normais, porém, Jean os desenterrou [em circunstâncias que ela não revela], levou-os para casa e lá os manteve, no caso do marido, por mais de uma década. 

Ela cuidou deles da melhor maneira possível. Ao fim do inquérito, nenhuma acusação foi impetrada contra a viúva mas os cadáveres foram apreendidos por determinação do Juiz do Condado de Bradford.

Mrs. Jean Stevens lamentou ficar sem os corpos: Para mim, é muito difícil entender a morte. Apesar da situação macabra, a mulher ela se parece mais com uma pacífica vovó do que com um ghoul [criatura sobrenatural, espírito que se alimenta de cadáveres]. Camisa azul, saia caqui, brincos de prata, o cabelo branco cuidadosamente penteado para trás, os olhos castanhos muito claros, límpidos.

Em um canto da sala de jantar, sobre uma cômoda, estão os retratos: Jean e James, jovens, com seus vinte e poucos anos. A foto foi tirada em 1942, logo depois do casamento. Outra fotografia, mostra as irmãs, Jean e June no fim dos anos de 1980.

O túmulo do marido ficava em um cemitério próximo; o da irmã, no jardim dos fundos da casa de Jean. Ela explica a atitude: Eu acho que isso de sepultá-los na terra é um adeus insuportável. Deste modo eu posso tocá-la [referindo-se à irmã], olhar para ela, falar com ela.

Ela vestiu a irmã com seu melhor roupão, acomodou-a em um sofá em uma saleta. Costuma-va perfumá-la com seu perfume favorito. O marido, foi acomodado na garagem, com a mesma roupa com que foi enterrado: terno escuro, camisa branca, gravata de malha azul. Mrs. Jean tem consciência de as pessoas não compreendem o que ela fez, que consideram algo macabro e que talvez se perguntem: Por quê você quer olhar uma pessoa morta?

A professora e psiquiatra da UCLA [University of California, Los Angeles], Drª Helen Lavretsky, pesquisadora da visão da morte entre idosos explica que as pessoas que não são particularmente religiosas ou espiritualizadas, frequentemente, têm dificuldade com a idéia da morte. Sentem medo de que a morte seja, realmente, o fim. Para essas pessoas, a morte não pode existir; eles negam a morte.

Sobre o caso de Mrs. Jean Stevens, a psiquiatra comenta: Ela chegou à mais extrema expressão dessa negação. Ela recuperou os corpos, "trouxe-os de volta" e sentiu conforto [psicológico] em tê-los em casa. É como se ela derrotasse a morte.

Todavia, Mrs. Jane Stevens tem um motivo a mais para querer seus entes queridos fora de caixões e túmulos. Ela sofre de uma forte claustrofobia e a irmã gêmea também tinha horror a lugares fechados em espaços exígüos. 

Por isso, pensar nos corpos do marido e da irmã June encaixotados embaixo da terra, para ela, era algo de horripilante. O caso foi denunciado às autoridades por um parente [dedo-duro] do falecido James Stevens.

FONTE: RUBINKAM, Michael.
US widow Jean Stevens lives with corpses of husband, twin.
IN Courier Mail, Austrália – publicado em 06/07/2010
[http://www.couriermail.com.au/entertainment/weird/us-widow-jean-stevens-lives-with-corpses-of-husband-twin/story-e6frep26-1225888356440]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...