quarta-feira, 15 de abril de 2009

Antiguidade: Antropófagos da Alemanha



Os Filhos de Pindorama. Canibalismo no Brasil em 1557, conforme relatado por Hans Stenden. [Wolfhagen, 1579]. Esta gravura, muito conhecida, é sempre lembrada quando se fala em canibalismo. Outra referência recorrente são os canibais das ilhas Caribenhas. Porém, as notícias abaixo não foram protagonizadas por Tupinambás de Feira de Santana [BA]. São relatos antigos e contemporâneos de fatos ocorridos no Velho Mundo [Europa]. Estes macabros fatos recentes fazem pensar em uma possível degeneração da espécie humana, que parece estar fazendo um lamentável caminho de volta para a bestialidade. Meditemos...

Na Alemanha, próximo à cidade de Speyer, arqueólogos descobriram indícios de antigos festins canibais que devem ter acontecido há sete mil anos. Os ossos humanos encontrados apresentavam cortes característicos da prática, paralelos, e as extremidades foram esmagadas. A carne e o tutano dos ossos haviam sido "removidos". Os corpos tinham sido evidentemente golpeados, espancados mesmo antes das vítimas serem "abatidas".

No sítio arqueológico da Idade da Pedra foi identificado um vilarejo com 12 habitações, cercado por duas linhas de trincheiras não contínuas. Desde as primeiras escavações no local, na década de 1990, os pesquisadores atentaram para os numerosos esqueletos mutilados.

A princípio, pensou-se que as mutilações eram testemunhos de guerras tribais. Porém, o antropólogo Bruno Boulestin, da Boedeaux University estabeleceu que pelos menos dois mil pedaços de ossos pertenciam a apenas doze pessoas. Examinando mais material fóssil, descobriu-se que mil pessoas foram mortas e canibalizadas. A explicação clássica é que estes homens e mulheres e crianças! primitivos comiam gente em cerimônias místicas, em rituais místicos. Todavia nada garante que tenha sido sempre, realmente, assim: aquelas pessoas podem, perfeitamente, ter servido como refeição de seus semelhantes.

Os estudiosos, com a mente sempre repleta de hipóteses, sugerem que o vilarejo pode ter sido o reduto de alguma casta sacerdotal que dominava outros povoados vizinhos e que usaram o canibalismo como forma de opressão e, possivelmente, porque acreditavam que o consumo de carne humana pudesse lhes conferir poderes mágicos. Estes "sacerdotes antropófagos" também criavam porcos, ovinos [carneiros e ovelhas], gado bovino; cultivaram campos de trigo e cevada, produziam cerâmica.


FONTES:

Traces of cannibal feasts unearthed in Germany
IN Pravda English ─ publicado 13/04/2009
Germany: Remains of ancient cannibal feasts discovered
IN All News Web publicado ─ 02/04/2009




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...