domingo, 8 de fevereiro de 2009

Índia: "Santos Macacos, Batman!"



Hanuman, o deus-macaco indiano em sua fantástica aparição no Ramayana, criando uma ponte entre a Índia e o Ceilão durante a guerra entre o príncipe Rama e e o demônio rakasha Ravana.


Jharkhand ─ Índia: As mortes de dois macacos, em diferentes locais do estado de Jharkhand comoveram o povo. Supersticiosos, os indianos mais simplórios ainda enxergam mensagens, presságios e "reencarnações" em acontecimentos ─ e personagens que, no Ocidente, seriam banais. No caso dos macacos, eles são respeitados por sua relação com Hanuman, o deus macaco do panteão hindu. Por isso, nos lugares em que os macacos morreram serão construídos templos!em homenagem a Hanuman. Aliás, o que não falta na Índia é "reencarnação de Hanuman".


"Em 2003, na Índia, um bebê nasceu dotado de cauda (não um caso isolado). Deram-lhe o nome de Balaji or Bajrangbali. Milhares de pessoas acorreram aos templos onde a criança era levada e para vê-la, era preciso pagar uma contribuição. Acreditava-se que a criança era a reencarnação da divindade Hanuman, o deus-macaco indiano, que aparece na epopéia do príncipe Rama, o Ramayana. A anomalia deve-se, na verdade, a uma mutação genética". [Mahajah!ck/Cabus In Sobrenatural.org]

O primeiro macaco morreu no dia 12 de janeiro. Era um dos cônjuges de um casal de macacos que morava em uma árvore Kusum [Schleichera oleosa] em frente ao templo de Durga, no vilarejo de Raghunathpur, distrito de Saraikela-Kharswan. A notícia logo se espalhou. As pessoas se reuniram, todos muito impressionados com o fato de um macaco cair de uma árvore e concordaram que o ocorrido é um perfeito "mistério" [este redator arrisca especular que o primata poderia estar doente ou velhaço [a], por exemplo; meditemos...].

Acreditando até que o macaco poderia ser a reencarnacção de Hanuman, naturalmente, a comunidade tratou de propiciar ao defunto os rituais apropriados: colocaram o macaco sobre uma plataforma de concreto e chamaram um sacerdote para conduzir o puja [ritual religioso com invocações, orações e oferendas] e queimar incensos.

Depois, saíram em procissão fúnebre até o local escolhido para o sepultamento em um terreno pertencente ao gram pradham [um líder, um homem proeminente] Baiyanath Mahto, um professor aposentado. A conselho do religioso os rituais continuaram por três dias e foi decidia a construção do templo. O vilarejo de Raghunathpur tem templos dedicados às divindades Durga e Shiva: "Já era hora de construir um templo para Hanuman", considera Baiyanath Mahto. Na Índia, um templo nunca é demais!

Incidente semelhante aconteceu em Chakulia, outro vilarejo [são pequenas cidades]. Ali, o macaco também caiu da árvore [mais mistério!?] e ficou inconsciente. Um cachorro atacou o animal, matando-o. O povo prestou reverências ao de cujus e na empolgação da comoção foi resolvido... que um templo seria construído em honra a querido deus-macaco, Hanuman.

[Este redator está juntando dinheiro para pagar a própria cremação quando hora de abotoar paletó de madeira chegar. Afinal, cremar custa mais porém dispensa família de taxa de manutenção anual de sepultura em cemitério...]


In DNA-Read The World/Índia ─ publicado em 20/01/2009



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...